Arquivo da categoria: Estilos

Karatê Rindoukan

karate-rindoukan

O Karatê Rindoukan é um mistura única de vários outros tipos de Karatê, incluindo o Shotokan, fundidos em um só. É um estilo mais físico (ao contrário do Shotokan, mais filosófico), de golpes duros usando muitos socos, chutes, joelhadas, cotoveladas e ataques com a mão aberta. Pontos vitais são alvos sempre que possível e o uso do Chi é mais interno, para fortalecer o corpo e alma, ao invés de usá-lo como arma em projéteis e golpes brilhantes.

Como muitos outros estilos de Karatê, o Rindoukan usa sparring, katas, meditação e breaking arts (as famosas provas de quebra de tábuas, telhas, etc) para fortalecer a mente, corpo e espírito.

Estudantes são testados em uma maneira altamente formal e carregam faixas na cintura que significam o seu ranking. Como muitas outras formas de Karatê, a faixa-branca é a inicial e a faixa-preta representa a mais alta dentre as mesmas.

Rindoukan significa Campânula do Outono (uma flor de Tosa) e foi fundado pela família da lutadora Makoto. Durante anos o dojô Rindoukan carregou muito prestígio e orgulho, respeitado por muitos e com diversos estudantes. No entanto, após a morte do pai de Makoto, Masaru, o dojô ficou sem sensei pois o avô de Makoto estava muito velho para ensinar artes marciais e os estudantes foram embora, caindo em obscuridade o estilo que demorou tantas décadas para se firmar.

No entanto, a força e determinação de Makoto em usar o estilo de sua família no circuito Street Fighter vem trazendo novos adeptos à arte e a sua ascensão como Guerreira Mundial com este estilo definitivamente deve trazer os seus frutos em breve.

Escolas: atualmente o Karatê Rindoukan somente pode ser aprendido no dojô de Makoto em Tosa, Japão. Não sabe-se de outras escolas, embora o dojô principal já tenha formado alguns bons mestres.

Membros: uma vez que é ensinado em somente uma escola, o número de membros é limitado ao espaço do dojô. Dependendo da época da crônica, pode ser muito fácil (SF4 e SF5) ou muito difícil ser admitido (pré-SF4 e pós-SF3).

Conceitos: tomboy, mestre de karatê, lutadores, instrutores de artes marciais

Chi Inicial: 1
Força de Vontade Inicial: 6

Lema: Você não treinou o bastante. Pode desistir do torneio agora.

Manobras Especiais
Soco Chute
Ducking Fierce (1)
Elbow Smash (1)
Fist Sweep (2)
Gale Punch (2)
Head Butt (1)
Knife Hand Chop (4)
Knife Hand Strike (3)
Rising Wind Punch (1)
Ax Kick (2)
Double-Hit Kick (1)
Foot Sweep (1)
Forward Foot Sweep (2)
Bloqueio Esportes
Maka Wara (3)
San He (4)
Apresamento Foco
Neck Crush (3)
Vital Crush (3)
Chi Kun Healing (4)
Dirty Fighting (1)
Ki Strike (1)
Stunning Shout (3)

*OBS: este estilo não é oficial da White Wolf, tendo sido criado por Matt Meade da SFRPG.com com base eme stilo homônimo e fictício da personagem Makoto da série Street Fighter. A tradução foi realizada por Fernando Jr, da SFRPG Brasil que achou interessante o estilo como um estilo de Karatê mais físico (e real) e menos místico que o Shotokan do livro básico.

Jiu Jitsu

laura-matsuda-jiu-jitsu

Originalmente desenvolvida no Japão entre os séculos XV e XVII, o Jiu Jitsu é uma arte marcial “leve”, destinada a dominar (em vez de incapacitar) um adversário. Ela usa o próprio peso do adversário contra ele, tornando-se um estilo elegante e pacífico. Os alunos de Jiu Jitsu (também conhecido como Jujutsu ou Jujitsu) aprendem a usar uma alavanca, através da força inerente nas suas pernas e músculos, levantando facilmente e derrubando pessoas com três vezes ou mais o seu peso. Profissionais de Jiu Jitsu não têm de ser musculosos, embora isso ajude; muitos dos melhores competidores são meio fracos, mas ainda assim capazes de lançar adversários do outro lado do ringue sem derramar uma gota de suor.

Recentemente, por volta de 1917, o Jiu Jitsu veio ao Brasil onde foi modificado em uma versão mais forte e voltada ao combate, pela famosa família Gracie. Os Gracie desenvolveram o Brazilian Jiu jitsu, uma versão voltada aos ringues e muito utilizada hoje em dia entre os lutadores de Vale-Tudo e MMA. No Brazilian Jiu Jitsu, além de ser extremamente focado no solo, foram adicionadas alavancas e torções inexistentes no Jiu Jitsu antigo, tornando-o mais perigoso e eficiente, não somente como instrumento de auto-defesa, mas de ataque também.

Escolas: Jiu Jitsu é ensinado em todo o mundo, geralmente na forma de Judô. Muitos soldados americanos residentes no Japão após a II Guerra Mundial aprenderam a arte e ajudaram a popularizar-lo nos Estados Unidos, e senseis japoneses ainda estão difundindo o conhecimento desta arte por todo o mundo.

Membros:Qualquer pessoa pode tomar aulas. Judô é um esporte popular no Japão e nos EUA, e, muitas vezes, é ensinado como uma técnica de auto-defesa.

Conceitos: Femme fatales, esportistas, policiais.
Chi Inicial: 3
Força de Vontade Inicial: 4
Lema:Quanto maior o tamanho, maior será o tombo.

A atual Guerreira Mundial neste estilo é a brasileira Laura Matsuda.

Requisitos do Jiu Jitsu

Profissionais do Jiu Jitsu são obrigados a ter um mínimo de 2 pontos em Apresamento e Esportes, mas têm automaticamente Breakfall e Throw, sem custo algum.

* OBS: manobras marcadas com um ‘*’ não são oficiais da White Wolf.
** OBS: manobras marcadas com ‘**’ são modificações feitas no estilo em virtude da lutadora Laura Matsuda, praticante de Jiu Jitsu em SF5.


Dúvidas

O correto é Jiu Jitsu ou Jujutsu?

O atual Jiu Jitsu (técnica ou arte da suavidade), muito popular no ocidente graças à família Gracie (que cunhou o Brazilian Jiu Jitsu), nada mais é do que uma versão contemporânea do jujutsu tradicional (e com nova grafia e pronúncia, assim como Ninjitsu), que fazia parte do treinamento desarmado dos guerreiros orientais. O intuito do jujutsu, era ser eficaz contra oponentes portando armas e armaduras mesmo estando de mãos nuas (desarmado). Nesta situação, de nada vale um soco ou chute contra um guerreiro com armadura samurai, por isso o jujutsu englobava chaves, torções e projeções, muito mais eficazes nesses casos.

Kabaddi

Dhalsim, mestre do Kabaddi

Os poderosos segredos do Kabaddi se originaram nos recantos mais isolados da antiga índia. Monges que dedicaram suas vidas à meditação, yoga e aos exercícios mentais do Budismo Dhyana (chamado no Japão de Zen) desenvolveram poderes físicos e mentais extraordinários. Dizia-se que eles podiam atravessar paredes, deter o batimento de seus corações durante horas e realizar diversos outros feitos sobre-humanos.

Afortunadamente, para poder adquirir estas habilidades, os monges precisavam alcançar um estado de tranquilidade mental tão elevado que eles raramente usavam estas habilidades de modo violento — exceto para se defender. Para se livrar de bandidos e outros agressores, os mestres de yoga desenvolveram o Kabaddi.

Kabaddi é uma das artes mais difíceis de aprender devido à rígida disciplina mental e controle corporal que o aluno deve desenvolver. Embora seja menos violento que a maioria dos outros estilos, o Kabaddi traz vitória aos seus praticantes através de táticas estranhas e inesperadas. Muitos mestres de Kabaddi, usando seu quase miraculoso controle corporal, conseguem esticar seus membros para atingir oponentes que estão do outro lado da sala. O mestre supremo deste estilo, Dhalsim, consegue até mesmo se teleportar de um lugar para outro. O estudante de Kabaddi que almeja igualar tais feitos deve primeiro adquirir o controle de cada molécula do próprio corpo. Ainda mais impressionante é a perspicácia mental de certos praticantes. Eles parecem ser capazes de ignorar todas as distrações e antecipar os movimentos de seus oponentes. O raciocínio é que, se o oponente não consegue atingir você, então ele não pode feri-lo.

Para usar todo o potencial do Kabaddi, o estudante deve estar em perfeita forma física e mental. Lutadores de Kabaddi frequentemente frustram seus oponentes, levando-os a uma fúria cega enquanto calmamente os atingem de uma distância segura, vencendo através da paciência e táticas inteligentes.

Com o crescimento da yoga no mundo ocidental, mais e mais lutadores têm buscado aprender este estilo. Praticantes de outros estilos esperam que seja apenas uma moda passageira. 

Escolas: escolas de Kabaddi podem ser encontradas em todo o mundo, mas elas normalmente admitem apenas alguns poucos e selecionados alunos. Kabaddi é um dos estilos mais rígidos e disciplinados. As aulas começam com uma hora de meditação, e os exercícios testam os limites dos alunos mais ágeis.

Membros: tradicionalmente, apenas aqueles que já demonstraram um grande nível de disciplina e autocontrole podem receber aulas. Esta restrição começou a desaparecer nas escolas mais modernas, mas os melhores alunos ainda são aqueles que demonstram o maior autocontrole e capacidade de concentração.

Conceitos: monges Zen, instrutores de ioga, místicos da Nova Era. 
Chi Inicial: 5 
Força de Vontade Inicial: 2 

Lema:Você deve aprender a controlar seus sentimentos e não pensar em nada além do seu oponente. Apenas após a luta você pode pensar sobre a vitória.

O atual Campeão Mundial deste estilo é o monge indiano Dhalsim.

Manobras Especiais
Soco Chute
Head Butt (1) Slide Kick (2)
Bloqueio Esportes
San He (3)

Energy Reflection (3)

Cannon Drill (5)

Flying Body Spear (2)

Apresamento Foco
Arm/Wrist Lock (2)*
Brain Cracker (1)
Dislocate Limb (3)
Head Butt Hold (2)
Air Suplex (2)
Push (1)*
Ashura Senku (3)*
Balance (3)
Blind (5)
Chi Kun Healing (3)
Chi Push (5)
Cobra Charm (2)
Extendible Limbs (4)
Fireball (3)
Flying Fireball (3)
Ghost Form (5)
Improved Fireball (5)
Inferno Strike (5)
Improved Ice Blast (4)*
Leech (3)
Levitation (3)
Mind Reading (3)
Psychic Vise (5)
Psycho Shield (1)*
Regeneration (1)
Short Fireball (3)*
Soul Illusion (4)*
Telekinesis (2)*
Telepathy (2)
Yoga Flame (3)
Yoga Teleport (5)

* OBS1: manobras marcadas com um ‘*’ não são oficiais da White Wolf, tendo sido desenvolvidas por fãs com base em golpes dos games de Street Fighter.

* OBS2: este estilo de luta não existe no mundo real. O Kabaddi é um esporte indiano de equipes e não uma arte marcial. Conheça o verdadeiro Kabaddi clicando no link.

Glimae

glimae2

A Luta-Livre da Islândia cria um tipo particular de lutador, com uma forte devoção ao trabalho físico e (para a surpresa dos estrangeiros) um forte lado espiritual. Estes lutadores geralmente mostram uma estranha sabedoria e uma percepção dos espíritos que é rara entre os lutadores de artes marciais, e geralmente estudam os escritos e símbolos rúnicos, que estão envolvidos no treinamento avançado deste estilo.

A característica mais marcante deste não é a capacidade física de seus lutadores, mas sim a sua afinidade com o gelo. Mesmo aqueles que não apresentam poderes elementais aprendem a focalizar seu Chi em manobras congelantes.

Escolas: Não existem academias formais de Glimae. Este conhecimento é passado apenas entre as tribos de esquimós que existem, mas não é raro que um professor particular desse estilo tenha abandonado a vida na tribo e ido para algum local mais civilizado. Entretanto, o lugar perfeito para os treinamentos continuam sendo as geleiras da Islândia e da Groelândia.

Membros: Estudantes dessa arte costumam ser lutadores grandes e corpulentos, mas possuem grande sabedoria e contato com o lado espiritual de seu estilo. Poucos estrangeiros conhecem essa arte, e menos ainda treinam.

Conceitos: Esquimó Guerreiro, Caçador, Explorador.
Chi Inicial: 3
Força de Vontade Inicial: 4
Lema:Os ventos frios do norte me dão a força necessária para congelar suas tentativas de me vencer!

Este estilo ainda não gerou um Guerreiro Mundial, mas comenta-se sobre as vitórias consecutivas de um Híbrido Animal que aparenta um abominável homem-das-neves na região do norte da Sibéria, além de Thor, o viking do século XI que acordou fora de seu tempo!

Para conhecer mais sobre as diferentes formas de Luta-Livre, consulte o post Variações de Luta-Livre.

Manobras Especiais
Soco Chute
Buffalo Punch (1)
Bloqueio Esportes
Breakfall (1)
Light Feet (3)
Apresamento Foco
Air Suplex (2)
Air Throw (2)
Back Breaker (2)
Bear Hug (1)
Disengage (2)
Grappling Defense (3)
Head Butt Hold (2)
Stomach Pump (3)
Suplex (1)
Siberian Suplex (4)
Chi Kun Healing (4)
Cobra Charm (2)
Ice Ground (2)*
Ice Blast (3)
Improved Ice Blast (4)*
Regeneration (2)
Telepathy (2)
Toughskin (2)
Cryokinesis (3)*
Ice Shower (3)*

* OBS: este estilo não é oficial da White Wolf. Ele foi originalmente desenvolvido pelos editores do fanzine Orgulho da Arte nº 8, disponível na Lista de Discussão do Yahoo, e mais tarde reformulado por Fernando Jr.

* OBS2: manobras marcadas com um ‘*’ não são oficiais da White Wolf.

Kenjutsu

sodom-kenjutsu

Kenjutsu, que significa numa tradução literal “Arte da Espada” ou mesmo “Técnica da Espada”, é uma arte marcial japonesa clássica do combate armado com espadas. O termo surgiu após as tentativas de invasão mongóis. Os samurais começaram a aprimorar as técnicas da espada, elevando-as a tal nível que nenhuma outra cultura jamais conseguiu sequer alcançar.

Existiram vários sub-estilos de Kenjutsu, a maioria surgida no período Muromachi (séculos XV e XVI), onde ocorriam várias guerras. O apogeu do Kenjutsu se deu no período Edo (tido como “os 200 anos de paz”), quando seus praticantes passaram a se questionar sobre uma compreensão elevada além da prática com a espada, mas também com o seu estudo, transformando a “Arte” em “Caminho”, originando o Kendo (Caminho da Espada), não mais uma arte de guerra para matar inimigos, mas um esporte, uma filosofia, característica para o aprimoramento humano.

Porém, a restauração Meiji no fim do século XIX (com a proibição do porte de espadas) e a derrota japonesa na Segunda Guerra Mundial causaram o fim de muitos estilos de Kenjutsu. Ainda assim, o estilo se manteve por alguns poucos mestres que sobreviveram e o passaram adiante.

Escolas: as melhores escolas estão, sem sombra de dúvida, no Japão. As mais clássicas e tradicionais se recusam em aceitar alunos não japoneses, sendo um pouco difícil para estrangeiros treinar entre os melhores. Existem algumas poucas federações espalhadas pelo mundo, geralmente mantidas por japoneses ou descendentes diretos, tendo um pouco mais de flexibilidade.

Membros: qualquer um que consiga empunhar uma espada pode vir a treinar Kenjutsu. Porém, somente a pouquíssimos alunos são ensinados os mais secretos movimentos com espada do estilo, sendo muito fechado para pessoas de fora, como os não descendentes japoneses, estrangeiros e outros.

Conceitos: espadachim, samurai moderno, filósofo.
Chi inicial: 3
Força de Vontade inicial: 4

Lema: “A espada reflete o espírito daquele que a empunha! Lute com seu espírito e a sua espada o seguirá!”

Não é sabido de nenhum campeão mundial Street Fighter que lute primariamente Kenjutsu, mas sabe-se que os ninjas Guy e Sodom também são praticantes desta arte.

Recomenda-se a leitura do post Lutando com Espadas.

Manobras Especiais para praticantes de Kenjutsu

A lista de manobras apresentadas abaixo possui manobras já conhecidas dos jogadores de Street Fighter RPG. Porém, note que quando um lutador de Kenjutsu adquire uma delas, ele deve obrigatoriamente estar de posse de uma espada para poder utilizá-la, a menos que tenha adquirido a manobra duas vezes (uma para uso com a espada e outra para uso sem a espada).

Para efeito de pré-requisitos e dano das manobras de Soco, Chute e Apresamento, substitua a técnica Soco/Chute pela técnica Espada.

Para efeito de cálculo de absorção das manobras de Bloqueio, utilize a Técnica Espada ao invés do seu Bloqueio.

Somente as manobras de soco, bloqueio, apresamento e esportes listadas abaixo podem ser adquiridas por lutadores de Kenjutsu, a menos que o Narrador diga o contrário. Nenuma outra manobra especial pode ser utilizada com espadas, mesmo que na sua descrição diga que ela pode ser adquirida por qualquer estilo (tenha Outros no custo em Pontos de Poder).

Leia também o post Lutando com Espadas, visto que esta é a arma do praticante de kenjutsu e o referido post detalha os tipos de espadas e seus efeitos em combate.

Empunhadura da Espada

Os lutadores de Kenjutsu podem empunhar suas espadas com uma ou ambas as mãos. Ao empunhar a espada com as duas mãos, o lutador ganha +1 dado de dano para ataques da técnica Espada; porém, recebe –1 na velocidade destes mesmos ataques.

Kenjutsu como Estilo secundário

Muitas artes marciais reais englobam em seu treinamento o uso de algumas armas brancas (veja em Estilos e o Treinamento com Armas), e entre elas, a espada é muito comum. Desta forma, é possível aos jogadores, se o Narrador permitir, adotarem o Kenjutsu como um estilo secundário ao seu. Desta forma, eles terão acesso ao leque de Manobras Especiais do Kenjutsu (listado no fim deste post), desde que possuam os pré-requisito necessários (como estar portando no mínimo uma espada, por exemplo) e encontrem um Sensei disposto a ensiná-los a arte do bastão.

Note que adotando o Kenjutsu como estilo secundário, não lhe dará os valores iniciais de Chi e Força de Vontade, ficando os valores que o próprio personagem já possua. Note também que, se o jogador possuir uma Manobra Especial que exista na lista do seu estilo primário e também na lista do Kenjutsu, ele deve adquiri-la duas vezes caso queira usá-la com e sem espadas. O treinamento de uma manobra com espadas é muito diferente do treinamento com os punhos, e de maneira alguma o Narrador deve permitir que um lutador que possui a versão “normal” de uma Manobra Especial a utilize portando uma espada e vice-versa.

Manobras Especiais
Espada
Bloqueio Esportes
Apresamento Foco
 Ansatsuken (5)*
Ashura Senkuu (3)*
Chi Kun Healing (3)
Stunning Shout (2)

* OBS: manobras marcadas com um ‘*’ não são oficiais da White Wolf e foram criadas por fãs.

* Fontes: estilo não oficial de SF RPG, criado por Roberto “Gárgula” Levita em seu suplemento Street Fighter RPG: Imortal, posteriormente modificado por Fernando Jr da SF RPG Brasil com base em estilo real homônimo.

sodom-katanas

A Quintessência do Maculelê

A Quintessência do Maculelê

Associado diretamente à Capoeira, também existe no brasil este estilo armado. Ele normalmente é mais ligado á dança e performance que o combate propriamente dito. O Maculelê, no entanto, esconde em seus movimentos sincronizados uma forma de luta antiga, estrnha aos praticantes contemporâneos, mas que já serviu para ocultar o treinamento combativo dos escravos nos canaviais da era escravista.

Praticado inicialmente com cepos de cana, e depois com facões e porretes, o maculelê era uma forma de defesa contra a chibata utilizada pelos feitores e capatazes do engenho. Seus contra-ataques incluem amplas cruzadas de pernas combinadas com ataques armados à cabeça e pernas do agressor, durante o erguer-e-abaixar frenético do escravo. Saltos laterias completam o estilo, colocando o praticante em posições de difícil alcance.

A origem do maculelê é extremamente controversa, mas é aceito que o estilo teria surgido com mescla de tradições africanas e indígenas. Segundo uma lenda africana, uma tribo teria sido surpreendida por seus adversários enquanto todos os homens mais capazes se encontravam na caçada. os demais, quase todos idosos, armaram-se com bastões curtos e lutaram contra os inimigos, forçando sua retirada. Ao retornarem, os caçadores saudaram a coragem de seus companheiros de tribo, e a dança se perpetuou como forma de lembrar o ocorrido.

Durante a noite, o maculelê era praticado também com tochas, e assim se dava o treinamento de combate dos escravos, completando pela "Brincadeira de Angola", ou Capoeira. A dança pode ser vista também como uma forma de extravasar seu ódio contra os carcereiros: suas canções, em dialetos africanos, não podiam ser entendidos pelos senhores do engenho e carregavam todo o ódio dos negros.

O maculelê é um canto de rancor e também um grito de liberdade. Sua luta é muito mais psicológica que física: entregando-se à dança guerreira, os negros lutavam contra os horrores do cativeiro e escravidão. Era importante continuar lutando, mesmo que não tivessem à sua disposição as armas para tal, substituídas pelos bastões normalmente vistos na dança.

Praticantes de maculelê normalmente são reconhecidos por sua grande agilidade e astúcia em combate. Habilidades associadas são a capacidade de lutar com duas armas, o talento acrobático e a mescla de dança e luta, que também serve para confundir o inimigo. Por se tratar de uma forma tão exótica, é normal que o candidato a praticante encontre dificuldades até mesmo para entrar em contato com um tutor capaz de ensinar.

Conteúdo retirado e adaptado da Dragão Brasil #110. 

A Quintessência do Maculelê

Yagli Gures

Hakan - Campeão de Yagli Gures

Yagli Gures é uma das muitas formas de Luta-Livre existentes, e atualmente é o esporte nacional da Turquia. É mais conhecida como Oil Wrestling (Luta-Livre com Óleo) ou Grease Wrestling (Luta-Livre Engraxada) porque os wrestlers cobrem-se com óleo de oliva. Os praticantes desta arte são chamados Pehlivans (do Persa “heróis” ou “campeões”) e vestem um tipo de calção de couro costurado à mão chamado Kisbet, normalmente usando couro de bufalo ou bezerro. Diferente da Luta-Livre Olímpica, no Oil Wrestling é permitido vencer através de golpes segurando o kisbet.

As pinturas mais antigas desta forma de luta-Livre são encontradas no templo Beni Hasan no Egito, datando de 2650 A.C. no Egito e também na Assíria. Wrestlers Turcos começaram a se cobrir de óleo por causa de uma lei islâmica a partir do século X, enquanto que antes disso a arte marcial era conhecida como Karakucak (“Abraço Negro” em Turco). Antigamente não existia limite de tempo para as lutas e existem relatos de lutas que demoraram um ou dois dias inteiros, até que um dos Pehlivans tenha conseguido mostrar sua superioridade. Para evitar isso, atualmente limita-se as lutas entre 30 e 40 minutos, e se não houver submissão dentro desse tempo, vence o lutador que obteve mais pontos.

O torneio anual de Kirkpnar, sediado em Edirne na Turquia, acontece desde 1362, e é a modalidade esportiva mais velha do mundo ainda em atividade. O Torneio dura três dias com mais de mil wrestlers participantes e o campeão torna-se o Baspehlivan (chefe wrestler).

Escolas: as escolas de Yagli Gures são chamadas de Tekke, e não são meros centros atléticos, mas também espirituais, similares às casas de Sumô do Japão. O respeito aos mais velhos é a principal marca dos alunos, que costumam beijar o dorso da mão do ancião em sinal de respeito. Atualmente esta tem-se tornado uma modalidade popular fora da Turquia, como no Japão e na Holanda (incluindo uma Federação do esporte neste país).

Membros: primeiro e mais importante: aspirantes à pehlivan tem de gostar de estar cobertos de óleo. Ponto. Não é apenas uma vantagem competitiva, mas sim um ritual antes do combate para purificar o corpo e é respeitado por outros artistas marciais, assim como a saudação das artes marciais japonesas ou o Kin Lai chinês. Além do gosto por óleo, o wrestler tem de ter grande força física (assim como em qualquer forma de Luta-Livre) e espiritualidade.

Conceitos: lutador engraxado, pehlivan, wrestler islâmico
Chi Inicial: 1
Força de Vontade Inicial: 6
Lema: Me dê mais óleo!

O atual Guerreiro Mundial desta variação de Luta-Livre é o turco Hakan!

Habilidades Adicionais

A menos que o lutador já se cubra de óleo antes da luta, ele receberá uma penalidade de -2 de Velocidade em seu primeiro turno pois terá de derrubar óleo de oliva sobre seu corpo. Se um Oil Wrestler lutar sem estar “purificado pelo óleo” ele perde -1 ponto temporário em Honra. Se ele estiver lutando na Turquia, ele perde além da Honra, -1 ponto temporário em Glória (em torneios oficiais não é permitido lutar sem óleo e o lutador é desclassificado).

Devido ao óleo passado em seus corpos durante as lutas, os lutadores de Yagli Gures possuem algumas particuliaridades como seguem. Note que essas particuliaridades somente se aplicam a lutadores que estejam cobertos de óleo, respeitando a tradição. O óleo de oliva torna a pele dos lutadores extremamente escorregadia, lhes conferindo +1 de Absorção por causa dos “desvios” que os golpes dos oponentes sofrem. Note que este bônus não ajuda a evitar que o lutador fique atordoado.

Todo apresamento sustentado feito pelo lutador sofre a seguinte desvantagem: a dificuldade em seus testes de Força é 7 ao invés de 6. Isso porque é muito difícil manter um apresamento sustentado quando seu corpo está muito escorregadio. Da mesma forma, se o lutador estiver sofrendo um apresamento sustentado, seu inimigo recebe a mesma penalidade nos testes para mantê-lo preso.

Manobras Especiais
Soco Chute
Bloqueio Esportes
Apresamento Foco

* OBS: manobras marcadas com um ‘*’ não são oficiais da White Wolf, tendo sido desenvolvidas por fãs do jogo.

** OBS 2: este estilo não é oficial da White Wolf. Ele foi criado por Fernando Jr com base em uma arte marcial real homônima que é praticada pelo novíssimo integrante de Super Street Fighter 4: Hakan!

Os Uniformes das Artes Marciais

Ken e seu uniforme de Karatê

Os uniformes das Artes Marciais não são apenas peças de vestuário para combatentes. Elas dizem muito sobre o estilo que o lutador possui e até mesmo um pouco de sua índole, afinal cores fortes indicam lutadores mais impetuosos (como o vermelho de Ken), enquanto cores claras normalmente indicam mais serenidade (como o branco de Ryu). Este post visa falar um pouco sobre os uniformes tradicionais de diversas artes marciais, ajudando a Narradores e jogadores a construírem melhor a aparência dos seus personagens.

O Uniforme do Karatê/Judô

O uniforme mais comum entre as artes marciais é o gi: é uma roupa semelhante a um kimono consistindo de um casaco e calças, desenvolvido para permitir o máximo de flexibilidade. Uniformes de Judô possuem algum acolchoamento no casaco, uma vez que os praticantes passam a maior parte do seu tempo sendo arremessados no chão, entretanto, este acolchoamento é muito básico para representar uma vantagem em termos de combate. Uniformes de Karatê são mais leves. Em geral, estes uniformes são brancos. Depois da moda ninja que surgiu na década de 80, algumas escolas adotaram uniformes negros.

Muitas escolas, especialmente as ocidentais, decoram os casacos com estampas bordadas representando a escola. Algumas competições também dão estampas para os vencedores, ou mesmo para todos os participantes. Um mestre tradicionalista não vai permitir estas "distrações ocidentais".

A maioria dos estilos de artes marciais atuais usam este tipo de uniforme, mesmo quando um traje diferente foi usado tradicionalmente. Os seguintes estilos usam o gi, ou algo muito parecido com ele:

A seguir estão listadas as artes marciais que não usam o gi como uniforme.

Uniforme de Aikidô

O uniforme do Aikidô moderno é similar ao do Judô, visto anteriormente. Os mais tradicionais (que permanecem utilizados em muitas escolas) usam o casaco do Judô sobre uma hakama preta ("saia dividida").

O Uniforme Ninja

Quase todos os fãs de cinema já viram alguma versão infame do uniforme ninja. Normalmente preto, consistindo em uma calça larga e um casaco, completo com um capuz e uma máscara que cobre a maior parte do rosto, exceto os olhos, e permite que o ninja esconda-se nas sombras. Entretanto, Stephen K. Hayes, um praticante do Ninjitsu moderno, sugere em seu livro, The Ancient Art of Ninja Warfare (A Arte Antiga da Guerrilha Ninja), que a roupa tradicional do ninja nunca foi usada na vida real!

Os ninjas foram interpretados pela primeira vez com uniformes negros nos teatro Kabuki do século XVIII. No teatro japonês, os ninjas que ainda não estavam na cena, precisavam se vestir de preto para que não fossem vistos e pudessem se mover até os locais onde apareceriam novamente. Quando entravam em cena, faziam a platéia acreditar que eles estavam invisíveis anteriormente. Ou seja, a roupa ninja totalmente preta serviu para enfatizar sua invisibilidade. Esta é a teoria mais próxima que temos sobre a "origem" da roupa preta. Afinal, os ninjas preferem não ser vistos.

Enquanto que vestes negras são úteis em florestas escuras e para penetrar em castelos, seria tolice vesti-la dentro de uma casa, onde qualquer um enxergaria e notaria a presença do ninja à primeira vista. Sempre que possível, o ninja veste-se com vestes apropriadas para o local. Dentro de um palácio, eles podem vestir-se como um samurai ou servente, enganando as vítimas até que estejam ao seu alcance. Em um vilarejo, eles vestiam-se como aldeões normais ou pescadores. Outra tática favorita era fingir ser u mendigo ou louco, que possuíam baixo status social, se fazendo passar despercebidos por guardas, por exemplo. A melhor maneira de se tornar invisível é misturar-se com o meio ao seu redor. A roupa preta, se foi realmente usada algum dia, era reservada às raras ocasiões em que um ataque noturno era necessário.

O Uniforme do Ninja Espanhol

Em missões que exigem subterfúgio e "invisibilidade", eles vestem-se como os ninjas tradicionais. Entretanto, para combates em arenas e exibições, genins matadores são o que há de mais extravagante e pomposo no circuito Street Fighter. Calças coloridas, cabelos esvoaçantes, uniformes de toureiro. Não há limites para a criatividade dos belos membros das escolas de Vega.

Rose e seu uniforme de Soul Power

O Uniforme do Soul Power

Devido à natureza mística dos praticantes desta arte, eles costumam vestir-se das mais extravagantes e excêntricas formas, como roupas ciganas, roupas de bruxos e de feiticeiras. Praticantes de Soul Power, assim como Rose, gostam de ostentar um visual arcano em seus combates e de mostrar um ar místico mesmo nas ocasiões mais comuns.

Uniforme do Silat/Krav Maga/ Jeet Kune Do

O Krav Maga, o Jeet Kune Dô e o Silat (especialmente o Pentjak Silat) são ensinados para serem utilizados na vida real; logo, seus usuários treinam com roupas normais. É claro, a roupa comum dos Malaios e Indonésios é exótica e estranha aos estrangeiros ocidentais, e pode ser vista como um "uniforme". Roupas Malaias tendem a ser folgadas e leves, tornando-as ideiais para o treinamento e combate reais.

Estes "uniformes" irão variar de uma escola para outra, dependendo do local de origem dos instrutores. Roupas tradicionais do Silat tendem ao preto, e consistem dos seguintes elementos: uma camisa folgada, às vezes aberta como um casaco de Judô; calças semelhantes as do Karatê; uma tanga com um padrão colorido e um ornamento na cabeça parecido com um turbante, chamado tengkokok. A maioria dos praticantes modernos descartaram o "turbante" e a tanga, ou simplesmente adotaram um gi negro como uniforme.

Uniforme do Savate

O uniforme tradicional do Savate é similar ao vestido pelos boxeadores no século XIX. Ele consiste em um macacão sem mangas, normalmente na cor preta. Sapatos com biqueira reforçada são usados nos pés (como explicado na descrição do estilo).

Uniforme do Kung Fu Shaolin

Os monges do Templo Shaolin tradicionalmente vestiam uma camisa branca sobre calças largas na cor preta. A cabeça era mantida raspada. Alguns praticantes de Kung Fu moderno, como Fei Long, dispensam a camisa e usam somente a calça e sapatilhas.

Uniforme do Tai Chi Chuan/Hsing Yi Chuan

Os praticantes dessas artes costumam vestir-se com calças largas e casacos compridos com botões, o que por vezes faz com que seus oponentes subestimem-os. As cores variam de acordo com o gosto ou escola do praticante, mas Tai Chi Chuan geralmente veste branco ou tons claros, enquanto que Hsing usa tons mais escuros.

Chun Li e seu uniforme de Wu Shu

Uniforme do Wu Shu

Existem basicamente três opções mais comuns de vestimentas para praticantes de Wu Shu: a roupa tradicional do Kung Fu, a roupa tradicional do Tai Chi Chuan ou ainda uma terceira e mais original: fantasias acrobáticas. Sim, uma vez que o Wu Shu foi muito utilizado nos circos chineses, era normal ver escolas em que os praticantes usavam roupas de acrobatas e ginastas em suas apresentações. A roupa de Chun Li é um ótimo exemplo de fantasia acrobática dos circos de Pequim.

Uniforme do Baraqah

Os guerreiros islâmicos do Baraqah usam as roupas tradicionais do deserto, como turbantes e panos pesados cobrindo o corpo inteiro (assim como Al-Nay). Já as mulheres vestem-se com calças largas, camisa e normalmente um véu escondendo a face (assim como Lady Kahn).

Uniforme do Lua

Como uma arte marcial havaiana, o Lua não exige um uniforme específico, embora seus praticantes tradicionalmente vistam-se com tangas coloridas e adornos, como colares e brincos. Faz parte dos costumes do Lua o uso de tatuagens em diferentes partes do corpo. Mais do que mero visual, as tatuagens possuem significados místicos e religiosos. As mulheres costumam vestir vestes ainda mais ousadas, visando distrair seus oponentes, como sutiãs feitos com cascas de coco, saias com cortes laterais para facilitar a movimentação e muita, mas muita sensualidade. Algumas chegam ao extremo de não usar sutiã, tapando os seios com os cabelos ou pinturas…

Uniforme de Luta-Livre (e todas suas variações)

O uniforme de luta-livre varia de país para país. Praticantes e Pancrácio lutam apenas com "fraldões" feitos de um pano grosso trançado entre as pernas e virilha. Já os praticantes de Vale-Tudo usam shorts com logo dos patrocinadores e luvas sem dedo. Lutadores de Lucha Libre usam calças coloridas e sua tradicional e indispensável máscara. Eles costumam entrar nas arenas portando alguma capa também. O wrestling modenor, ou luta-livre mais voltada para o entretenimento, usam todo tipo de roupa, visando oferecer um bom espetáculo para a audiência. Um uniforme tradicional de luta-livre, principalmente nas modalidades olímpicas, é o maiô, presente também em esportes como Sanbo e Luta greco-romana.

Uniforme da Luta-Livre Nativo Americana

Qualquer roupa de luta-livre já serve (como visto anteriormente), embora os nativos gostem de ostentar alguma marca de sua tribo, como pintura no rosto e peito, algum penacho na cabeça, e outros apetrechos tradicionais.

Uniforme do Sumô

Sumotoris vestem muito pouca roupa nos ringues, somente um mawashi (pequena tanga) feita de seda ou algodão. Fora do ringue, entretanto, roupas semelhantes a um kimono (embora muito mais caras e complexas) são vestidas em ocasiões cerimoniais. Lutadores de Sumô também são imediatamente reconhecidos pelo seu chonmage (penteado característico).

Este "topete" é remanescente dos dias quando o samurai usava o "topete" do sumotori como uma espécie de "crachá" que indicava que os mesmos eram membros do castelo.

Uniforme da Capoeira/Maculelê

Todo brasileiro que se preze conhece o uniforme tradicional da Capoeira, mas para os visitantes estrangeiros do blog, ele consiste geralmente em uma calça larga, normalmente branca, amarrada na cintura por um ou dois cordões, em cores representando a graduação do capoeirista. O Maculelê é apenas uma luta armada dentro da Capoeira, logo não possui uniforme próprio.

Uniforme do Boxe/Muay Thai

O uniforme do Boxe é apenas um calção com estampas variadas, coturnos bem amarrados e grandes luvas acolchoadas. As únicas diferença do uniforme do Muay Thai para o do Boxe é o uso de uma espécie de "tiara" ritualística e também de cordões coloridos no braço, indicando a graduação do Thai Kickboxer. Ah, e Thai Kickboxers não utilizam sapatos, apenas bandagens nos pés.

Uniformes das Forças Especiais

Meio óbvio, mas não custa ressaltar: eles usam uniformes militares, ou variações de roupas camufladas com roupas civis. Combinações tradicionais incluem calça com camuflagem de floresta e camisa regata. Muitos poucos usam quepe e a maioria gosta de ostentar suas "dog-tags" (plaquetas com sobrenome e numeração do soldado). Soldados das Forças Especiais costumam usar a cabeça raspada também, embora Guile e Charlie sejam uma exceção.

Uniformes do Kabaddi/Kalaripayt

Não existe um uniforme específico para estas artes marciais indianas. Os lutadores gostam de liberdade de movimentos, logo usam vestes confortáveis, como bermudas e tangas para os homens e algo do tipo também para mulheres. Tanto homens quanto mulheres gostam de pintar-se e usar adornos, como pulseiras, colares e brincos; embora não seja regra.

Leia também: Sistemas de Graduação das Artes Marciais.

Sakura e seu uniforme...escolar?

Krav Maga

Krav Maga

Krav Magá (em hebraico significa "combate próximo") é um sistema de defesa pessoal baseado na simplicidade e eficácia. É considerado o método de auto-defesa pessoal mais eficaz do mundo segundo especialistas em contra-terrorismo. Foi desenvolvida na antiga Tchecoslováquia na década de 1930 por Imi Lichtenfeld, um militar palestino que adaptou as técnicas das Forças Especiais Israelenses para uso civil, como forma de defesa pessoal. Krav Maga não é um esporte, pois não possui regras e qualquer golpe é permitido.

A ideia básica é tratar da ameaça imediata, prevenir que o agressor possa voltar a atacar e neutralizar o agressor, procedendo todos os passos de maneira simples e eficaz. O Krav Maga geralmente assume uma posição em que se tenta infligir ou deflectir o maximo de dor no oponente. Genitais, olhos, e outras zonas de golpes baixos são enfatizadas, tal como outros golpes em que se maximize o dano ao adversário. É claramente aceitável fugir da situação de conflito (retirada tática), se a situação nos obriga a isso. O Krav Maga pode ser utilizado contra oponentes armados de várias maneiras, ou contra vários adversários. É tambem um método de defesa muito eficaz em áreas fechadas (ex: avião).

À primeira vista, muitas técnicas do Krav Magá são idênticas a de outros estilos (principalmente Forças Especiais), porém o treino e objetivos são diferentes, pois os treinos são feitos nas piores situações de stress (ao contrário de artes marciais Zen como o Karatê Shotokan): contra vários oponentes, contra a parede, enquanto se protege alguém, sem a utilização de um braço, atordoado, contra agressores armados… Além disso, o fato de não haver regras conduz a reações diferentes, tanto de ataque (golpear genitais e olhos), quanto de defesa (proteger áreas sensíveis). O treino enfatiza a prática na realidade em situações possíveis de ocorrerem nos dias atuais. É colocada muita atenção em factores como a resistência, a velocidade explosiva e a concentração.

Escolas: Desde a morte de Imi Lichtenfeld, escolas e associações de Krav Magá tem sido abertas por todo o mundo. Até à sua morte, Imi foi Presidente da Israeli Krav Maga Association, instituição criada por este em 1978, em conjunto com os seus melhores alunos, com o objectivo de servir de apoio, dar formação e divulgar o Krav Maga em Israel e no Mundo. Por este motivo, as melhores escolas ficam em Israel.

Membros: o Krav Magá foi adotado pelas forças armadas israelenses e pela polícia como a sua arte marcial de escolha – arte essa que chegou à sua forma atual em Israel pouco depois da sua formação. É utilizado pelas Forças de Defesa de Israel, Navy Seals, FBI, CIA, GIGN franceses e diversas polícias de intervenção. Muitos israelenses ou mesmo agentes disfarçados que praticam o Krav Magá estão entrando no circuito street fighter.

Conceitos: Policial, instrutor militar, guarda municipal, agente israelita

Chi Inicial: 2

Força de Vontade Inicial: 5

Lema: "Se você acha que paredes não revidam, cuidado – eu posse ser a primeira."

Este estilo ainda não possui um membro entre os Guerreiros Mundiais, mas o soldado iraquiano Sayid Jarrah tem demonstrado muita força e garra, popularizando o estilo nas competições. 

Manobras Especiais
Soco Chute

Flying Knee Thrust (1) 
Slide Kick (2)
Gordita Sobat (3)*
Wounded Knee (2) 

Bloqueio Esportes
Apresamento Foco

* OBS1: este estilo de luta não é oficial da White Wolf. Ele foi originalmente criado por Thiago Pereira, da comunidade Street Fighter RPG do Orkut e posteriormente alterado por Fernando Jr.

* OBS2: manobras marcadas com um '*' não são oficiais da White Wolf, tendo sido desenvolvidas por fãs do jogo.

Sistemas de Graduação das Artes Marciais

Ken é faixa preta em Karatê Shotokan

Muitos estilos possuem um sistema de rankeamento estruturado, indo do iniciante ou novato até o mestre da arte. O sistema mais comum é o rank por faixas, usado no Judô, Karatê, Aikidô e muitas outras artes marciais japonesas. Um dos mais comuns sistemas por faixas é mostrado abaixo, com valores aproximados de pontuação nas Técnicas e Pontos de Poder.

Este nível de Técnicas mostrado deve ser a soma de todas as Técnicas do lutador, e o número de Pontos de Poder deve ser a soma de todos os Pontos de Poder gasto para adqurir as Manobras Especiais e Combos do lutador.

Note que estes sistemas não são precisos. A idéia de pesquisá-los e adaptá-los aqui foi para dar um charme a mais no jogo e não para ditar que todo lutador que tiver x Técnicas é um faixa preta ou algo do gênero. Use apenas se tiver gostado do sistema. Sugestões são bem vindas e podem ser enviadas pelo formulário de contato.

Uma dica para os Narradores: não usem somente os valores de Técnicas e Pontos de Poder aqui apresentados para definir a graduação de um lutador dentro de sua arte marcial. Bons senseis exigirão que seus alunos conquistem vitórias e títulos antes de avançar para uma faixa subsequente.

Graduações do Judô

Faixa Branca ou Vermelha: iniciante; este é o rank mais baixo. Não existe exigência alguma para conseguir esta faixa, visto que é dada aos novos praticantes e um estilo. Esta faixa somente é retirada do lutador em 2 casos: avanço para a faixa amarela ou expulsão do dojô.

Faixa Amarela: um iniciante após algum treino. Ele deve ter 3-6 pontos em Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.

Faixa Laranja: deve ter 5-7 pontos em Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.

Faixa Verde: um estudante mais ou menos competente. Deve ter 6-8 pontos de Técnicas e 4-6 pontos de Poder.

Faixa Azul: neste nível, o estudante pode ajudar seu sensei com os novatos. Deve ter 7-9 pontos em Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.

Faixa Marron: um artista marcial competente, que pode ensinar algumas técnicas simples. Deve ter 8-10 pontos em técnicas e 6-8 Pontos de Poder.

Faixa Preta: todos os conhecimentos básicos já foram dominados. Deve ter 9-11 pontos em Técnicas e 7-9 Pontos de Poder.

Note que, ao contrário da crença popular, o treinamento não termina com a faixa preta (veja mais abaixo). De fato, a maioria das artes marciais asiáticas entendem que, a partir da faixa preta é quando o verdadeiro aprendizado começa e as técnicas mais avançadas serão aprendidas. A tendência ocidental de ver a faixa preta como o ápice do domínio de uma arte marcial é um absurdo.

Graduações de Okinawa

A maioria dos estilos de Okinawa (como Isshinryu e Goju Ryu) usam um sistema de faixas similar ao do Judô, visto acima. Estes ranks (chamados Kyu) tem nomes e cores, com dez ranks antes da faixa preta. Os nomes e cores de faixa, bem como a média de Técnicas e Pontos de Poder, são descritos abaixo:

Jukyu (Faixa Branca): sem requisitos.
Kyukyu (Amarela): 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder
Hachikyu (Laranja): 5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.
Shichikyu (Verde): 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Rokkyu (Azul): 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.
Gokyu (Roxa, 1º nível): 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Yonkyu (Roxa, 2º nível): 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder.
Sankyu (Marron, 1º nível): 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Nikyu (Marron, 2º nível): 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder.
Ikkyu (Marron, 3º nível): 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder.
1º Dan (Preta): 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder.

A Vida depois da Faixa Preta

A Faixa Preta é a primeira de uma série de níveis de domínio da arte marcial. No Karatê, estas graduações são conhecidas como Dan (grau). Uma faixa preta “regular” é o Primeiro Dan. Cada Dan subsequente representa um aperfeiçoamento nas Técnicas e Pontos de Poder, como detalhado a seguir.

1º Dan (Faixa Preta comum): 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder.
2º Dan: 15-17 Técnicas e 12-14 Pontos de Poder.
3º Dan: 17-19 Técnicas e 14-16 Pontos de Poder.
4º Dan: 20-22 Técnicas e 16-18 Pontos de Poder.
5º Dan: 22-24 Técnicas e 18-20 Pontos de Poder.
6º Dan: 25-27 Técnicas e 20-22 Pontos de Poder.

E assim sucessivamente. Existem pouquíssimos mestres de 5º Dan ou superior. Um artista marcial de 10º Dan (Técnicas 37-39 e Pontos de Poder 30!) é algo extremamente raro, uma vez que o próprio Ryu, é um faixa preta de 8º Dan. Note que alguns lutadores irão considerar sua faixa falsa, a menos que você possua uma boa reputação e Posto. Ter estudado em um bom dojô ou com um bom Sensei também ajuda. Uma vida de duelos também pode lhe ajudar a provar seu grau de proficiência em uma arte marcial, afinal, não se espera acreditar em um karateca de 10º Dan com menos de 40 anos.

Graduação do Silat/Jeet Kune Do

Tradicionalmente gurus do Silat não graduam seus estudantes. Níveis de técnicas são reconhecidos através da reputação do praticante, ou aprendidos de forma dura durante as batalhas. Desde que a violência entre diferentes escolas e grupos étnicos não é algo incomum, seria insensato mostrar o grau de proficiência de um estudante antes de um  combate. Atualmente alguns professores ocidentais adotaram o modelo de faixas do Judô (visto no início do post).

Da mesma forma, lutadores de Jeet Kune Do, um estilo voltado ao combate real e não às arenas tradicionais, não usa sistemas de faixas, embora possa ser utilizado o sistema do Kung Fu, visto mais adiante.

Graduações de Estilos Internos

(Kabaddi/Soul Power/Tai Chi Chuan, etc)

Estilos internos, que não são arbitrariamente focadas em combate não possuem sistemas de graduação. Normalmente eles se consideram estudantes durante toda a vida, até que seus senseis lhes digam que agora não tem mais nada a lhe ensinar (ironicamente, isso muitas vezes acontece no leito de morte do sensei).

Graduações da Capoeira

Mestre Bimba, um dos maiores mestres da Capoeira que já existiu, criou o sistema de cordões, similar às faixas do karatê para graduar seus alunos. Os cordões são amarrados na cintura da calça do lutador, como uma espécie de cinto.

Cordão Verde: alunos iniciantes não possuem cordão. Eles ganham seu primeiro cordão (verde) após algum treinamento. 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.

Cordão Amarelo:  5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.

Cordão Azul: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.

Cordão Verde-Amarelo: 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.

Cordão Verde-Azul: 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.

Cordão Amarelo-Azul: 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder. Neste nível, que normalmente demora 5 anos de treino para ser alcançado, o capoeirista é considerado formado.

Cordão Verde-Amarelo-Azul: 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder. Neste nível o capoeirista pode tornar-se monitor, ajudando seu mestre com os novatos.

Cordão Verde-Branco: 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder. Neste nível o capoeirista pode ser considerado um professor. Ele pode lecionar aulas de capoeira sozinho, embora não teha dominado completamente o estilo ainda.

Cordão Amarelo-Branco: 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder.

Cordão Azul-Branco: 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder. Neste nível, o capoeirista torna-se um contra-mestre. Acima dele, somente seu próprio mestre.

Cordão Branco: 14-16 Técnicas e 12-14 Pontos de Poder. O capoeirista torna-se um Mestre de capoeira, respeitado e venerado. Normalmente, capoeiristas que não são Street Fighters demoram cerca de 22 anos para irem do cordão verde ao branco.

Graduações do Boxe/Luta-Livre

No Boxe não existem graduações, mas sim categorias de peso entre os lutadores. Em Street Fighter RPG, podemos definir as categorias não somente com o peso corporal do lutador, mas com sua perícia em combate, como segue. Da mesma forma todas as formas de Luta-Livre (incluindo Vale-Tudo) utilizam classificações semelhantes por peso, podendo ser utilizado o esquema abaixo.

Mosca-Ligeiro: iniciante.
Peso-Mosca: 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.
Peso-Galo: 5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.
Peso-Pena: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Peso-Leve: 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.
Meio-Médio-Ligeiro: 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Meio-Médio: 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder.
Peso-Médio: 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Meio-Pesado: 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder.
Peso-Pesado: 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder.
Super-Pesado: 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder.

Note que um boxeador que possua uma categoria equivalente a uma determinada faixa do karatê, muitas vezes será mais forte (embora não tão versátil) quanto o karateca, uma vez que ele sempre terá Chute 0 e muitas vezes Foco 0 também. Isso reduz seu leque de “preocupações com Técnicas” para 4. Ou seja, se pegarmos um karateca faixa preta (1º Dan) mediano (14 Técnicas) ele terá 2.33 em cada Técnica, enquanto que um boxeador Super-Pesado mediano (14 Técnicas) terá 3.5 em cada Técnica (exceto Chute e Foco).

Graduações Ninjitsu/Ninjitsu Espanhol

O Ninjitsu possui apenas 3 graduaçoes básicas explicadas em detalhes no post Ninjitsu (e relacionados): Genin, Chunin e Jonin.

Da mesma forma, o Ninjitsu Espanhol de Vega se baseia na mesma hierarquia (como podemos ver com os capangas de Vega, os Genins Matadores).

kung-fu-personagens

Graduações de Kung Fu/Wu Shu/Kempô/Kickboxe

Como Kung Fu é uma denominação genérica para as artes marciais chinesas e existem centenas de variações, fica praticamente impossível definir uma graduação única para todas as variações. O sistema abaixo pertence ao Kung Fu Taisan. O Kickboxe também possui divisões por faixas, com os mesmos requisitos abaixo, porém a ordem correta das mesmas é (decrescente): Branca -> Amarela -> Laranja -> Verde -> Azul -> Marrom -> Preta. Depois da faixa preta, os estilos são dividos em Dans, assim como a graduação de Okinawa vista anteriormente.

Faixa Branca: iniciante.
Faixa Azul: 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.
Faixa Amarela: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Faixa Laranja: 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Faixa Verde: 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Faixa Marrom: 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder.
Faixa Preta: 14-16 Técnicas e 12-14 Pontos de Poder.

Graduações do Savate

O Savate possui seu próprio sistema de graduação, que é baseado na cor das luvas ao invés das faixas. Esta graduação é similar, em termos de jogo, à graduação do judô, como segue:

Luvas Azuis: 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder. Essas são as primeiras luvas que o lutador ganha. Antes delas não é permitido ao lutador portar luvas ou participar de torneios.

Luvas Verdes: 5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.

Luvas Vermelhas: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.

Luvas Brancas: 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.

Luvas Amarelas: 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder. Para alcançar este nível, o lutador de Savate deve ter sido bem sucedido no mínimo em um torneio com as Luvas Brancas (semi-finais já é um bom resultado).

Luvas de Bronze: 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder. Para alcançar este nível, o lutador deve ter chegado a final de algum torneio que tenha participado.

Luvas de Prata (1º Nível): 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder. O lutador deve ter ganhado no mínimo um torneio para alcançar este nível.

Luvas de Prata (2º Nível): 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder. O lutador deve ter ganhado no mínimo um torneio e participado de no mínimo 4 competições para alcançar este nível.

Luvas de Prata (3º Nível): 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder. O lutador deve ter ganhado no mínimo um torneio e sido bem sucedido em outros três para alcançar este nível.

Graduações do Sumô

No Sumô, não existem faixas ou cordões, porém existem graduações. Para efeito visual, o Narrador poderia determinar que cada graduação poderia utilizar uma cor de mawashi (veste tradicional do Sumô) e/ou pintura no rosto (assim como E. Honda).

Rikishi: um simples atleta que precisa ganhar mais peso para entrar em combates de verdade.
Jonokuchi: sumotori iniciante. 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.
Jonidan: 5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.
Sandanme: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Makushita: 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.
Juryo: 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Makunouchi (1º Dan): esta é a “faixa preta” dos Sumô, sendo divida em Dans, com nomes característicos. O primeiro Dan é chamado de Maegashira ou simplesmente de Makunouchi mesmo. 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder.
Komussubi (2º Dan):  10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Sekiwake (3º Dan): 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder.
Ozeki (4º Dan): 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder. Antes de lagar o circuito profissional de Sumô, E. Honda era dessa categoria.
Yokozuna (5º Dan regular ou 1º Dan Yokozuna): 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder. A graduação máxima dentro do Sumô. Dentro dessa graduação existem ainda 5 Dans, podendo o sumotori ser Yokozuna 1º Dan até Yokozuna 5º Dan.

Graduações do Thai Kickboxe

O boxe tailandês original não utiliza graduação alguma, sendo dividido apenas os amadores dos profissionais. Porém, em outras regiões do mundo algumas graduações são utilizadas, desde as categorias de peso na América do Norte (iguais às do Boxe) às prajieds de cores diferentes. As prajieds do Muay Thai se assemelham às faixas do Judô neste sentido, pois são cordões trançados que formam tiras amarradas aos braços dos lutadores. Se o Narrador decidir utilizar a graduação baseada em prajieds em sua crônica, aqui está ela:

Khan Nueng (Branco): iniciante. Sem requisitos.
Khan Song (Amarelo): iniciante com algum treino. 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.
Khan Sam (Amarelo-Branco): 5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.
Khan Sih (Verde): 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Khan Hah (Verde-Branco): 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder. Iniciante experiente.
Khan Hok (Azul): 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Khan Jed (Azul-Branco): 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder.
Khan Pad (Marron): o lutador deixa de ser considerado iniciante no estilo. 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Khan Kaoh (Marron-Branco): 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder.
Khan Sib (Vermelho): 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder. Lutador experiente.
Khan Sib Ed (Vermelho-Branco): 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder. O lutador passa a receber treinamento para virar instrutor.
Khan Sib Song (Preto): 14-16 Técnicas e 12-14 Pontos de Poder. Aqui ele se torna instrutor (ajuda o professor).
Khan Sib Sam (Preto-Branco): 15-17 Técnicas e 13-15 Pontos de Poder. Aqui ele se torna professor, podendo ter sua própria academia.
Khan Sib Sih (Prata): 16-18 Técnicas e 14-16 Pontos de Poder. O lutador se torna um mestre.
Khan Sib Hah (Ouro): 17-19 Técnicas e 15-17 Pontos de Poder. Grão-Mestre.
Khan Sib Hok (Ouro-Prata): 18-20 Técnicas e 16-18 Pontos de Poder. Grão-Mestre Honorário.

cammy-white-forcas-especiais

Graduações das Forças Especiais/ Ler Drit

O Treinamento das Forças Especiais não é necessariamente uma arte marcial, mas sim um conjunto de técnicas de combate para uso em guerras e guerrilhas que se mostrou muito útil nas arenas Street Fighters também. A graduação proposta aqui é baseada na hierarquia militar brasileira e pode ser utilizada pelos jogadores se assim desejarem, embora na vida real, a hierarquia não se baseie na capacidade combativa de cada militar. Lembre-se apenas de que somente valores na ficha do personagem não devem ser usados (sozinhos) para determinar a graduação de um soldado. Seria interessante se ele subisse de graduação somente após grandes missões para sua organização militar ou para-militar (como a Shadaloo).

Considerando que o Ler Drit é uma junção de técnicas militares tailandesas com poderes psíquicos, o Narrador pode utilizar esse rankeamento também para os soldados de Bison.

Soldado: um recém alistado com seus 18 anos de idade e sem experiência alguma.
Cabo: soldado com alguma experiência. 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.
Sargento (3º ao 1º): o sargento varia de nível, do 3º (menos importante) ao 1º. 5-7 Técnicas e 3-5 Pontos de Poder.
Sub-tenente: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Aspirante: 7-9 Técnicas e 5-7 Pontos de Poder.
Tenente (2º ao 1º): o tenente possui 2 níveis. 8-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Capitão: 9-11 Técnicas e 7-9 Pontos de Poder.
Major: 10-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Tenente-Coronel: 11-13 Técnicas e 9-11 Pontos de Poder.
Coronel: 12-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder.
General (de Brigada, de Divisão e de Exército): o General possui 3 níveis, do menor ao maior. 13-15 Técnicas e 11-13 Pontos de Poder.
Marechal: 14-16 Técnicas e 12-14 Pontos de Poder. O grau mais alto dentro do exército brasileiro.

tae-kwon-do-personagens

Graduações do Tae Kwon Dô

Tae Kwon Do usa um sistema de faixas muito similar ao do Judô para chegar à Faixa Preta. Entretanto, as cores possuem um significado diferente.

Faixa Branca: iniciante. Sem requisitos.
Faixa Amarela: 3-6 Técnicas e 2-4 Pontos de Poder.
Faixa Azul: 6-8 Técnicas e 4-6 Pontos de Poder.
Faixa Vermelha: 9-10 Técnicas e 6-8 Pontos de Poder.
Faixa Vermelha com Preta: 11-12 Técnicas e 8-10 Pontos de Poder.
Faixa Preta: 13-14 Técnicas e 10-12 Pontos de Poder.

Depois da faixa preta, seguem as mesmas regras que foram vistas no sistema de Okinawa.

Leia também: Os Uniformes das Artes Marciais.

Zangief é um super-pesado da Luta-Livre russa