Arquivo da tag: luta livre nativo americana

Necalli

necalli

Altura: 1.90m
Peso: 113kg
País: México (Azteca)
Nascimento: ?

Necalli é conhecido como o “Emissário dos Deuses” pelos povos que o adoram e como “A Escuridão Consumidora de Almas”, pelos povos que o temem. As lendas Aztecas, povo que viveu na meso-américa na região hoje ocupada pelo México, contam que a cada centenas de anos as estrelas se alinham e formam a “Hora da Batalha”, também conhecida como “Hora de Necalli”. Durante este período de tempo Necalli acorda para consumir as almas de fortes guerreiros. E este tempo chegou.

Recentemente um misterioso homem conhecido como Profeta Guerreiro pregou que na próxima vez que Necalli acordasse, ele consumiria a alma Daquele que Agoniza para Seguir seu Caminho, Daquele que Serve ao Deus do Fogo e Daqquele que Preenche o Mundo com Destruição. Estudiosos modernos afirma que esta lenda pode estar se referindo, respectivamente, a Ryu, Dhalsim e Bison. No entanto, quando foram confirmar esta informação com o tal Profeta, ele havia desaparecido e, coincidentemente, um ser com a fisionomia da entidade Necalli, tal qual descrita nas lendas, foi vista nas selvas amazônicas na mesma semana.

Se as profecias são verdadeiras ou não, só o tempo dirá. O que se sabe é que uma criatura, meio-homem e meio-fera, tão selvagem (ou até mais) quanto Blanka, tem sido acusada de ser responsável do assassinato de alguns lutadores ultimamente.

Aparência: Necalli tem um longo cabelo negro preso em dread locks com anéis dourados. Ele possui olhos amarelos e um misto de cicatrizes e pinturas tribais pelo rosto e corpo, principalmente peito e braços, que brilham intensamente quando ele está furioso. veste-se de maneira cerimonial Azteca, com um kilt branco com adornos dourados, embora já tenha sido visto com roupas modernas, talvez retiradas de suas vítimas.

Na verdade essa é a aparência atual de Necalli, após ter consumido a alma do Profeta Guerreiro, como contato em sua história. Originalmente Necalli era um ser menos humano, com pele rochosa verde, armadura de combate azteca e sangue semelhante à lava, praticamente sem cicatrizes.

Interpretando Necalli: você é misantropo, ou seja, odeia os seres humanos. Possui uma personalidade selvagem, similar à Blanka quando enfurecido, mas mais malicioso e instável. Você se sente atraído por poderosos lutadores e deseja devorar suas almas para satisfazer seu apetite e agradar seus deuses, uma vez que é um emissário. Sua voz possui um eco natural, talvez devido às múltiplas almas que consumiu.

Lema: Devorar-ar-ar!

sf5-necalli-screenshot4

Necalli como NPC

Necalli é uma entidade que devora a alma de fortes lutadores. Bons plots podem incluir investigações sobre o desaparecimento de certos lutadores, investigações sobre outra estranha criatura na selva amazônica, algum personagem místico como Rose ou Dhalsim procurando a ajuda dos heróis para que a antiga profecia Azteca de Necalli não se concretize e por aí vai. O Narrador apenas deve tomar cuidado para que Necalli não acabe matando os personagens dos jogadores, pois é isso que ele gosta de fazer.

Híbrido e Garras

Necalli é um lutador extremamente selvagem, como um autêntico ser místico da mitologia azteca. Ele move-se agachado como um símio, semelhante a um gorila, possui garras e dentes afiados e por vezes é tomado por um frenesi que só termina com a morte do oponente.

Necalli pode usar sua técnica Garra ao invés de Soco em suas Manobras Especiais de Soco.

necalli-sf5-artwork

Híbridos Animais

Guerreiros Mundiais

* Fontes: a planilha foi criada com base nas estatísticas oficiais de Necalli em SF5, em comparação com a planilha de Ryu. Seus textos foram escritos por Fernando Jr, da SFRPG Brasil, com base no Story Mode do personagem em SF5 e textos da Street Fighter Wikia.

Thunder Hawk

T. Hawk



Altura: 2.30m
Peso: 162kg
País: México
Nascimento: 21/07/1959 (36 anos em SF4)

O garoto que viria a ser conhecido como Thunder Hawk (Gavião Trovejante) nasceu em uma reserva Nativo Americana no estado do Novo México, chamada Thunderfoot (Pétrovão), filho do grande Arroyo Hawk. T. Hawk logo cresceu, se tornou um homem e continuou a crescer! Aos 18 anos já tinha 2,20m de altura e estava desenvolvendo a sua musculatura.

T. Hawk se tornou conhecido entre seu povo como um excepcional atleta e um jovem de grande nobreza de espírito. Ele também ficou conhecido entre os sábios e xamãs de sua tribo como um guerreiro com muitos desafios em seu destino. Certamente os espíritos tinham enviado tamanho guerreiro com um propósito em mente.

Ele imediatamente começou a treinar as antigas técnicas de luta de seu povo, aperfeiçoando novas técnicas de Luta-Livre Nativo Americana e aprendendo como usar seu gran detamanho, velocidade e força para superar uma dúzia de oponentes de cada vez.

Finalmente, T. Hawk foi para o deserto mexicano. Aqui, seguindo os conselhos de um xamã, ele ficou em jejum durante o dia sob o sol escaldante. Durante seu jejum, T. Hawk teve visões do grande pássaro que se tornaria sua alcunha e totem pessoal. Visões mostraram a T. Hawk como usar o poder de seu corpo para se erguer no ar e mergulhar como um verdadeiro gavião. Estas visões permitiram que T. Hawk adicionasse várias manobras especiais a seu arsenal de técnicas.

Enquanto esteve fora em treinamento, a vila de T. Hawk foi atacada e Arroyo Hawk morreu defendendo-a. Isso criou em T. Hawk um incrível senso de justiça, e a pena que ele carrega em sua cabeça é uma lembrança de seu pai e da responsabilidade que deve assumir como líder da tribo.

Crônica em Street Fighter Alpha: misteriosos desaparecimentos na aldeia de T. Hawk fizeram com que ele deixasse a tribo para investigar mundo afora o que poderia estar acontecendo. Primeiro Little Eagle e agora sua amada Julia, filha do pesquisador alemão que vive com eles na aldeia. T. Hawk não irá retornar até que encontre os culpados e as cativas.

Crônica em Street Fighter 2: T. Hawk encontrou e resgatou Little Eagle (a Doll Noembelu) e descobriu que Julia (a Doll Juli) está sob mesmo domínio mental da organização Shadaloo, mas não a encontrou ainda. Ao mesmo tempo, uma grande empresa de mineração conseguiu subornar e intimidar todos em seu caminho através de leis federais e estaduais, para conseguir direitos exclusivos de mineração nas terras da reserva. Antes que o povo de T. Hawk percebesse o que estava acontecendo, as tropas da guarda nacional dos EUA os escoltava para fora das suas terras. A companhia de mineração ergueu um conjunto habitacional para os índios, mas a maior parte do povo Thunderfoot decidiu lutar ou fugir para o México.

T. Hawk decidiu ficar e lutar, descobrindo que novamente a Shadaloo estava por trás disso e que a companhia era apenas uma fachada. Os “mineiros” pareciam estar muito mais interessados em procurar por um certo local do que em mineirar. T. Hawk jurou vingança contra a Shadaloo e entrou para o circuito Street Fighter para conseguir se aproximar de Bison e por um fim em sua tirania.

Crônica em Street Fighter 4: T. Hawk não conseguiu derrotar Bison, mas soube que ele havia sido assassinado por outro lutador na final do torneio. Porém, quando T. Hawk voltou para suas terras elas estavam completamente destruídas. Trazer seu povo de volta e reconstruir a aldeia não foi tarefa fácil, mas ele o fez, e quando as coisas já estavam encaminhadas, T. Hawk mais uma vez retomou sua jornada de encontrar Julia.

A organização SIN parece ter ligações com a Shadaloo, e seu próximo torneio mundial pode lhe trazer pistas do paradeiro de sua amada. T. Hawk acaba encontrando em sua jornada seu amigo de infância El Fuerte e a misteriosa Rose, que lhe dá pistas do paradeiro de Julia. Quando voltar desta perigosa missão, Hawk estará pronto para assumir o posto de líder da tribo.

Interpretando T. Hawk: apesar das dificuldades que enfrentou, você é ainda um homem de bom coração. Respeita a natureza e os costumes ancestrais. O que você mais quer na vida é recuperar a terra natal dos seus ancestrais e as pessoas que foram capturadas pela Shadaloo. Você lutará ferozmente para atingir este objetivo.

Aparência: T. Hawk é um enorme nativo americano, ainda mais alto do que o poderoso Zangief. Ele se veste com uma jaqueta rasgada de brim, jeans e mocassins. Também usa uma faixa de cabeça e penas, símbolos da tradição guerreira de seu povo.

T. Hawk como NPC

Como chefe, T. Hawk apenas deixa sua tribo em casos de extrema necessidade, então não é alguém fácil de encontrar viajando por aí, a não ser que os heróis estejam passando pelo México. Hawk foge ao estereótipo de grande e burro, ele é inteligente, justo e muito espiritualizado, lembrando uma mistura de Zangief com Dhalsim. Ele não se importa de ajudar os outros, principalmente se puder fazer algo contra a Shadaloo, grande causadora dos males do seu povo, mas jamais deixará a raiva guiar seus atos, pois é isso que os espíritos malignos desejam.

*Fontes: a planilha de T. Hawk em SF2 corresponde a versão original americana, pois a brasileira contém erros (principalmente nos Antecedentes). As demais planilhas e sua história completa são adaptações de Fernando Jr baseado no The Street Fighter Plot Canon Guide e acontecimentos in-game nos jogos da saga em que ele aparece.

T. Hawk e seu Mascote

Guerreiros Mundiais

O Molusco

O Molusco


Donald Three Pines era um dos melhores e mais brilhantes homens. Nascido na pobreza de uma reserva no Sudoeste, Donald atordoava seus professoress com sua atitude científica. Na faculdade suas habilidades não eram menos impressionantes
e Donald ganhou medalhas de pretígio no Instituto de Oceanografia de Woods Hole.

Porém os talentos de Donald eram limitados ao seu intelecto. Buscando aprimorar sua auto-disciplina e auto-confiança, ele ingressou cedo nas artes marciais. Donald tornou-se um lutador habilidoso e até mesmo estudou com o poderoso T.Hawk.

O único defeito de Donald, se é que pode ser chamado assim, era sua obsessão. Ele não podia, como T. Hawk suplicou, “estar dentro, e não fora”. Donald tinha que saber, provar, analisar e entender. Desta forma, quando ele ouvia rumores de sinais próximos a Puget Sound, Washington – sinais de uma espécie de polvo que, pelas suas contas, fazia o Octopus Apollyon indígena daquelas águas parecer um anão – ele tinha que investigar pessoalmente. Com publicações dançando em sua cabeça, Donald juntou dinheiro e desceu a Costa oeste. O primeiro mergulho de Donald às cavernas desconhecidas
com muitas espécimes impressionantes, mas nada nas proporções que ele queria. Nada feito em sua segunda, e seu terceiro mergulho estava destinado ao fracasso. Então, sem pensar
nos perigos de mergulhar sozinho – narcose de nitrogênio ou a criatura por si só – Donald desceu mais profundamente do que era prudente. 100 pés…125…150…

Ele encontrou-o em águas iluminadas. Ou melhor, ele foi encontrado. A primeira coisa que aconteceu foi Donald sentir três tentáculos esmagando-o. As reservas de oxigênio de Donald caíram pela metade. A criatura era maior do que os relatos – possivelmente nem era deste planeta.

A criatura ponderou sobre sua presa com seus olhos, percebendo o seu tamanho diminuto. Aquela coisinha que nadava era tão pequena que não serviria para apaziguar seu apetite. Entretanto, ele poderia ser usado sob as ondas. Sim…ele precisava de um escravo na superfície para preparar o caminho para a Ascensão. Mas certamente e mais prazerosamente, uma forma menos restritiva era necessária.

As enzimas de devolução fizeram seu trabalho. Mais tarde, algo rastejava de dentro do Pacífico para a Puget Sound bem no local onde Donal Three Pines havia mergulhado. Mas não
era Donald Three Pines. Era somente o Molusco.

Aparência: O Molusco é algo difícil de entender; muitos oponentes tem repulsa de subir ao ringue com ele…lutar contra homens-gato é uma coisa, mas quem quer lutar contra uma meleca de 2,10m bípede? O molusco é de uma coloração
marron-acinzentada e possui manchas pretas. Seus olhos balançam no topo de minúsculos tentáculos em sua cabeça e possuem uma camada de muco que os protege. Seus braços
lembram tentáculos, possuindo ventosas.

Interpretando o Molusco: você lidera o time na ausência do Alto Sacerdote, por que você não é fanático irracional como Sss’lussthu-Kha e nem uma fera cega como a Coisa. Você faz rapidamente o que o Alto Sacerdote manda, embora você se considere um aliado e não um
servo. Você curiosamente passou a ser paciente após a transformação. Logo o tempo irá chegar, e Ele caminhará sob a Terra mais uma vez. Até então, você nega aqueles poucos espécimes de humanidade que podem posar e passar dificuldades na
Noite da Purificação.


Lema:
A hora da extinção de sua espécieestá próxima,
micróbio humano.

Híbridos Animais


Os Impronunciáveis

Chen Tsu


Lutador nômade cujo histórico é desconhecido, somente se sabe que recentemente ele entrou no circuito Street Fighter e tem derrotado muitos lutadores experientes, até o punk inglês Birdie (terá sido pura sorte?). Dizem, inclusive, que ele recebeu uma proposta da Shadaloo.

Chen Tsu é um lutador muito estranho. Seu nome e aparência denunciam sua raça oriental, mas ele pratica…Luta-Livre Nativo Americana? Ninguém consegue explicar um bom motivo para tal prática, victo que no oriente existem centenas de estilos marciais à sua disposição e Tsu nunca está disposto a falar sobre seu passado. Ele é um dos mais vorazes iniciantes no circuito Street Fighter, embora não seja amplamente conhecido, devido a seu estilo reservado e viajante.

Esta sua personalidade “distante” e “desapegada” tem causado problemas junto aos seus companheiros de time que tem exigido um maior envolvimento de Chen Tsu nos treinos. A despeito dessas reclamações, Chen continua suas viagens sozinho, e somente volta à sede da Gordon Produções quando um torneio se aproxima.

Aparência: por mais estranho que pareça, Chen Tsu é um oriental. Ele possui os traços nativos dos japoneses, como olhos puxados e pele amarela. Sua calvície e barba branca denunciam sua idade avançada, embora seu corpo mantenha o mesmo vigor ou até mais do que um jovem qualquer.

Interpretando Chen Tsu: você é calmo e sereno. Mesmo quando está em combate, evita atacar sem pensar e nunca age por instinto. Está sempre analisando a tudo e a todos ao seu redor, mantendo uma personalidade enigmática e calada. Não fala sobre si mesmo e parece alheio ao mundo, não se importando com fama, dinheiro, glória, bem ou mal.

* OBS: este personagem não é oficial da White Wolf. Ele foi originalmente apresentado na Dragão Brasil nº 56.

Jaq

Jaq


Jaq era um garoto comum de Miami, um pouco mais violento e avantajado do que o normal para sua idade, mas comum. Um dia, seus pais decidiram levá-lo em uma viagem pelo Parque Nacional Everglades. Um desastre aconteceu quando eles bateram em um feroz crocodilo-touro durante um passeio de carro pelo parque. O crocodilo atacou, demolindo o carro da família e mandando-os em uma fuga frenética para dentro da floresta do parque.

O crocodilo perseguiu a família pelo Everglades – impossibilitando o seu retorno à estrada para pedir ajuda.

Uma semana infernal se seguiu, o sanguinário crocodilo perdeu a família em um pântano, o que fez com que conseguissem voltar à civilização – todos exceto Jaq, que se separou dos pais durante o ataque inicial. Uma longa busca falhou em localizar o garoto, que foi dado como morto. Horrorizados e chocados pelo final trágico do passeio, os pais de Jaq voltaram a Miami.

Mas Jaq não havia morrido – ele havia sobrevivido graças sua força de vontade e afinidade natural com os animais. Ele tinha um instinto fora do comum e conseguiu se comunicar com os animais selvagens que o consideravam um amigo. Todos exceto o crocodilo-touro, que espreitou durante anos, aguardando uma oportunidade de atacá-lo. Jaq cresceu sozinho nos pântanos, os anos foram passando e sua mente foi se tornando mais bestial, lentamente se esquecendo de sua origem.

As mudanças nas características de Jaq foram surgindo conforme seu corpo amadurecia. Alguma coisa reagiu com a química de seu corpo no ambiente do Everglades. Talvez o trauma da perseguição quando era criança “ativou” um espírito de caçador, de fera, dentro dele; forçando seu corpo a se adaptar à sua nova forma de vida. Aos poucos ele foi se tornando mais parecido com um crocodilo em aparência e modos. Sua nova forma ajustou-se ao seu novo mundo e aos desafios que lhe foram impostos.

Ele cresceu como uma espécie de Rei do Everglades, sendo respeitado por todos animais como o mais forte deles, exceto um. O crocodilo-touro.

Era só uma questão de tempo para acontecer a batalha final entre Jaq e seu nêmesis. Depois de anos perseguindo o jovem, o monstro finalmente encurralou-o. Sua bocarra escancarou-se para engoli-lo enquanto Jaq saltava sobre seu pescoço para estrangulá-lo. Jaq teve sua vingança, mas a um horrível preço. O crocodilo-touro atacou selvagemente o jovem, dilacerando a carne de seu corpo. Era só uma questão de tempo até que Jaq se juntasse ao seu oponente na lama.

Ele provavelmente teria morrido, não fosse a intervenção de uma jovem acadêmica da Escola Técnica da Georgia. Amy Carter estava conduzindo um estudante pelo Everglades quando ela escutou a luta. Ela seguiu os sons do combate até, que finalmente cessaram, foi quando se apressou e encontrou um Jaq extremamente ferido e morrendo.

Ela estancou seus ferimentos e o levou para a cidade, onde cuidou dele durante muitas semanas até que finalmente ele se recuperou. Quando retornou sua consciência, Jaq estava surpreso em descobrir que não somente estava vivo como trancado em um pequeno quarto.

Amy, sem saber que ele havia acordado, estava buscando água para limpar seus ferimentos. Ela tabém não sabia como ele reagiria ao se ver em um espaço fechado. Depois de anos vivendo nos pântanos, o confinamento repentino em uma estação de campo parecia uma jaula para o garoto. Tomado pelo medo, o lado animal de Jaq o controlou.

Ele destruiu a parede da estação e correu de encontro a uma espantada Amy. Ele atacou-a em um pânico selvagem. Para sua sorte, Amy sabia como cuidar de si mesma. Ela deu um passo para o lado e usou o impulso do próprio Jaq para prender seus braços atrás de suas costas, jogando-o de cara no chão. Quando a lucidez voltou, o garoto encontrou a si mesmo acorrentado. Ele estava atordoado; como ele poderia ter derrotado um poderoso crocodilo-touro e perdido para uma jovem garota. Amy sussurrava em seu ouvido, convencendo-o que ela não queria machucá-lo. Jaq prometeu se controlar.

Jaq acabou gostando de Amy. Ele ajudou-a com sua pesquisa, trazendo comida para os dois. Ela, em troca, lhe falava sobre o mundo fora dos pântanos e lhe ensinou alguns movimentos da Luta-Livre Nativa Americana. Logo ela terminou sua tese e preparava-se para deixar o pântano – e Jaq. Antes de ir, entretanto, ela encontrou o único indivíduo que acreditava que poderia ajudar Jaq a se readaptar ao mundo real – Blanka. Ela conseguiu que os dois se encontrassem, e no mesmo instante os dois se puseram em combate, tendo Blanka que dar uma lição no impulsivo Jaq e lhe mostrar que ele não era um Guerreiro Mundial– ainda.

Blanka levou Jaq ao seu primeiro torneio Street Fighter. Vitórias se seguiram durante os meses seguintes, até que Jaq obteve o seu Posto atual. Ele continua falando com Amy e provavelmente a ama, mas o Street Fighting tornou-se sua vida e provavelmente ainda será durante um longo tempo.

Aparência: Jaq obviamente não é um humano normal. Ele possui uma pele rugosa verde, costas avantajadas que aparentam a de um crocodilo sem cauda e uma espécie de focinho, ao invés de nariz. Suas roupas consistem em jeans rasgados e vez ou outra um colete de couro surrado, feito sob medida. Jaq também usa um colar rústico feito com cipós e um enorme canino, seu maior troféu, arrancado da boca do crocodilo touro.

Interpretando Jaq: Você tem uma alma infantil e preza muito suas poucas amizades. Infelizmente, somente os que conseguem lhe enfrentar em uma batalha podem ser considerados amigos. Para os outros, especialmente os que você considera fracos, trata com desprezo e ocasionalmente com selvageria. Alguns poucos não necessitam enfrentá-lo em combate para se tornarem seus amigos, mas tem de demonstrar coragem e honra.

Lema: Eu sou o quê? Eu não sei o que é isso, cara! – mas com certeza não sou como você!

Híbridos Animais

Amanda Raintree

Amanda Raintree


Amanda cresceu em uma reserva indígena do centro-oeste dos EUA, praticando luta-livre e brincando com as outras crianças, mas logo percebeu que queria mais da vida. Ela estava fascinada com o mundo exterior.

Quando Amanda fez 18 anos, foi para a Universidade em Los Angeles contra a vontade de seus pais. A cidade foi uma brilhante e assustadora mudança de atmosfera. Contudo, ela se entregou aos estudos vigorosamente. Sentindo necessidade de atividades físicas, Amanda se envolveu com o exemplar programa de esportes da Universidade de Los Angeles. Reconhecendo seus talentos naturais, os treinadores a colocaram em um programa de treinamento projetado para ajudá-la a alcançar seu potencial máximo. O resultado final após seu primeiro ano de faculdade foi uma impressionante nativo-americana de 1,78m de altura e 76Kg de peso.

Amanda tinha muitos grandes planos, mas ela nunca se esqueceu de seu lar.

Portanto, quando soube que sua reserva havia sido vendida para uma empresa de exploração de recursos naturais (apoiada pela Shadaloo), ficou chocada. Quando soube que seus pais morreram durante um protesto, ficou absolutamente estarrecida. E quando finalmente ouviu falar sobre o lendário T. Hawk, ela ficou inspirada. Tem ajudado a causa dele causando sensação no Circuito Street Fighter desde então.

Amanda se uniu ao Time Os Corvos para obter uma vantagem competitiva dentro do circuito de lutas. Ela também tem esperanças de encontrar outros que tenham rixas similares com a Shadaloo.

Aparência: uma índia nativa-americana alta e com um corpo poderoso. Amanda é um espécime notável do condicionamento humano. Ela usa seu longo cabelo escuro em tranças e se veste casualmente com shorts de corrida e uma camiseta, exceto quando luta. Então ela se veste com um uniforme justo de peça única, usa sandálias nos pés e penas no cabelo.

Interpretando Amanda: você se destaca em uma multidão e está acostumada com isso. Costumava ser alegre e descontraída, mas agora é determinada e segue seus objetivos sem vacilar. Porém, ocasionalmente, a excitação de uma nova cidade exótica envolve você e a reverte para sua antiga atitude alegre e tranquila por algum tempo.

Lema: Tá olhando o quê?


Os Corvos

Luta-Livre Nativo Americana

T. Hawk - Campeão Mundial de Luta-Livre Nativo Americana

A Luta Livre Nativo Americana começou como uma forma de divertimento entre os guerreiros indígenas norte-americanos. Eles a usavam para desenvolver seu vigor e agilidade. T. Hawk combinou este estilo com antigos ensinamentos místicos sobre a força da mente e os espíritos dos totens. O resultado foi um estilo com arremessos mortais, golpes esmagadores e a evocação de espíritos totêmicos para realizar ataques misteriosos.

A Luta Livre Nativo Americana se tornou um dos estilos de mais rápida ascensão no circuito de lutas. Os lutadores desta forma de Luta Livre estão entre os lutadores mais versáteis, pois seu estilo exige que pensem rápido para contra-atacar cada golpe com a defesa apropriada. Este treinamento faz com que eles instantaneamente se adaptem a qualquer situação. A maioria dos oponentes nem percebe que estão perto da derrota até serem imobilizados.

Flexibilidade, velocidade e astúcia colocam os adeptos da Luta Livre Nativo Americana entre os mais ferozes competidores. Este estilo consiste de uma série de ataques e contra-ataques. Os lutadores têm uma variedade de combinações que lhes permite reverter qualquer situação. Uma de suas melhores armas é a capacidade de perceber um ponto fraco em seus oponentes e usá-lo contra eles. Isso faz com que muitos lutadores fiquem super-atentos do começo ao final do combate. A única fraqueza verdadeira do estilo é que muitos lutadores jamais aprendem totalmente seus componentes mentais e místicos. Eles param após aprender alguns truques, mas nada que possa realmente torná-los mais poderosos. Não foi assim com o recém-chegado Thunder Hawk. Ele usou apenas uma parte dos golpes disponíveis em seu arsenal para vencer sua primeira luta, mas foi o suficiente para causar uma grande impressão nos outros lutadores. Outros praticantes de luta-livre afirmam que a fama de T. Hawk é apenas o começo para este estilo.

Escolas: é fácil encontrar uma escola, mas elas ensinam apenas o básico. As melhores escolas estão nas reservas indígenas, mas é muito difícil ser aceito nestas aulas. Professores suspeitam de qualquer um que não tenha ascendência nativo americana. Este estilo primeiramente ensina as técnicas principais e depois os contra-ataques. Espera-se que um estudante esteja apto a reagir a qualquer situação. Treinadores mantém seus estudantes sempre atentos usando novas chaves e arremessos.

Membros: este estilo tem praticantes bem diversificados. Eles surgem em todos os tamanhos e raças. Treinadores de Luta Livre Nativo Americana conseguem desenvolver as habilidades de praticamente qualquer pessoa.

Conceitos: fã de Luta-Livre; atleta olímpico; estudante; xamã.
Chi Inicial: 3
Força de Vontade Inicial: 4

Lema:Eu não sou um lutador, mas um guerreiro. Minha força vem de meu interior e dos espíritos dos antigos totens. Esta é a razão pela qual nunca perderei.

O atual Campeão Mundial deste estilo é o índio mexicano Thunder Hawk! Para conhecer mais sobre as diferentes formas de Luta-Livre, consulte o post Variações de Luta-Livre.

Manobras Especiais
Soco Chute
Buffalo Punch (1)
Ear Pop (2)
Heart Punch (2)
Shockwave (3)
Spinning Clothesline (4)
Wounded Knee (2)
Bloqueio Esportes
Air Smash (1)
Diving Hawk (4)
Thunderstrike (1)
Apresamento Foco
Air Throw (2)
Back Breaker (2)
Bear Hug (1)
Brain Cracker (1)
Disengage (2)
Dislocate Limb (3)
Face Slam (2)
Grappling Defense (3)
Ground Fighting (3)
Iron Claw (4)
Moonsault Press (5)*
Neck Choke (1)
Sleeper (3)
Spinning Pile Driver (5)
Stomach Pump (3)
Storm Hammer (5)
Suplex (1)
Thigh Press (2)
Chi Kun Healing (4)
Chi Push (5)
Ghost Form (5)Regeneration (2)
Thunderclap (4)

*OBS: manobras marcadas com um ‘*’ não são oficiais da White Wolf. Foram criadas por Fernando Jr ou outros fãs com base em manobras homônimas dos games.