Arquivo da tag: kung fu

Yun e Yang Lee

yun-sf4


yang-sf4


Altura: 1.73m
Peso: 62kg
País: Hong Kong
Nascimento: 09/09/1977 (18 anos em USF4)

Yun e Yang são dois adolescentes-prodígio que na mais tenra idade já mostravam conhecimentos avançados de artes marciais chinesas como Kung Fu e Wu Shu, herança de sua família uma vez que seu avô era um grande lutador, assim como outros membros de sua família. Quando ainda era bebês seus pais ajudaram um grande chefe do submundo chinês que ficou em débito com eles. No entanto, essa ajuda os colocou em uma situação difícil e ao que parece eles teriam sido assassinados por inimigos deste chefe. Assim, sua tutela passou ao seu avô, enquanto que os 8 maiores chefes do submundo chinês se tornaram seus padrinhos, incluindo seu tio Lee (irmão mais novo de seu pai), conhecido mestre de artes marciais e antigo Guerreiro Mundial (SF1) e Gen, mestre de Lee e de Chun Li e também outro Guerreiro Mundial até os dias atuais.

Yun e Yang cresceram rodeados de histórias de aventura e lutas, o que obviamente lhes influenciou muito. Para colocar juízo na cabeça dos dois eles trabalhavam desde pequenos na loja de ervas do seu avô (que faleceu a pouco tempo) e mais recentemente em um restaurante familiar de Hong Kong (do sogro deles para ser mais exato) pra ganhar a vida, e quando não estão em serviço carregando caixas e limpando tudo, podem ser vistos praticando esportes radicais ou treinando Kung Fu, sendo seus estilos favoritos o Oito Punhos Extremos, o estilo da Serpente e o estilo do Louva-a-Deus.

Como “herdeiros” do submundo chinês, é responsabilidade deles de garantir a ordem e segurança das ruas de onde vivem e eles fazem isso muito bem, sempre juntos. Mas a cada dia que passa os jovens gêmeos estão mais entusiasmados com a ideia de viajarem pelo mundo e enfrentarem novos lutadores para realmente pôr suas técnicas à prova, embora suas namoradas Hoimei e Shaomei desaprovem a ideia.

Crônica em Street Fighter Alpha: Yun e Yang desejam participar do novo filme de seu ídolo Fei Long, Street King 2 e para serem selecionados para o elenco decidem melhorar o seu Kung Fu no circuito Street Fighter, onde o próprio Fei Long pões suas habilidades à prova.

Crônica em Street Fighter 4: o filme de Fei Long acaba sendo cancelado durante as gravações devido à inúmeros sequestros de lutadores. Yun e Yang vêem Chun Li partir com Guile para investigar algo também relacionado à estes crimes, e ficam intrigados com o que pode chamar a atenção de Chun Li, a mulher mais forte do mundo. Eles decidem partir por conta própria (embora Yang, o gêmeo mais sensato estivesse um pouco relutante) para fazer suas próprias investigações e viver um pouco de aventuras uma vez que ficam sabendo do novo torneio mundial promovido pela organização SIN.

Aparência: Yun é um jovem chinês sempre sorridente e com porte atlético. Possui um cabelo comprido, sempre amarrado em uma trança, como seu tio Lee e veste-se com roupas tradicionais de Kung Fu, na cor branca, mas sem mangas e com tênis. Para completar sua aparência, adora bonés e frequentemente está portando seu skate que ele anda até mesmo em locais não permitidos.

Yang é um jovem chinês sempre calmo e com porte atlético. Possui um cabelo com uma longa franja sobre o rosto, devido à sua personalidade mais retraída. Veste-se com roupas tradicionais de Kung Fu, na cor vermelha, mas sem mangas e com tênis. Às vezes é visto com rollers nos pés, principalmente quando está nas ruas, para se movimentar mais rápido.

Interpretando Yun: você é o irmão mais velho, mas isso não quer dizer que tenha de ser o mais responsável e maduro. Você ama andar de skate, namorar e é claro, lutar. Gosta de aventurar-se sem medir as consequências primeiro, e isso já lhe meteu em confusões mais de uma vez. Mas é claro, seu irmão estava lá para ajudar.

Interpretando Yang: você é o irmão mais novo, mas apesar disso é o mais inteligente e responsável dos dois. Sempre calmo e pensativo, extremamente o oposto do seu irmão mais velho, você é aquele que prefere usar o cérebro do que os punhos. Não é por não gostar de lutar, mas é que seu irmão sempre se mete em encrencas demais e depois você tem de limpar a bagunça.

Yun e Yang como NPCs

Yun e Yang são os protetores de um bairro de Hong Kong, à mando dos 8 chefes do submundo chinês. Assim, qualquer pessoa que entra ou sai desse bairro, ou qualquer um que crie confusão por lá, acabará conhecendo os gêmeos. Atualmente eles decidiram viajar um pouco para testar suas habilidades contra outros lutadores, e mesmo sem saberem, estão sendo vigiados por Gen. Eles são um pouco atrapalhados e se metem em algumas confusões, o que pdoe gerar bons plots de aventuras para Narradores criativos.

yun-e-yang-sf4

Guerreiros Mundiais

* Fontes: personagens não oficiais da White Wolf. As planilhas de Yun e Yang foram originalmente criadas por Matt Meade da SFRPG.com e sua história por Fernando Jr da SFRPG Brasil, com base em acontecimentos in-game nas séries Alpha e SF4, bem como material do The Street Fighter Plot Canon Guide.

Fei Long

Fei Long



Altura: 1.72m
Peso: 60kg
País: Hong Kong
Nascimento: 23/04/1969 (26 anos em SF4)

Fei Long cresceu em Hong Kong como um ávido fã dos famosos filmes de artes marciais de Hong Kong. Contrariando os desejos de seu pai, começou bem cedo a praticar Kung Fu às escondidas, quando tinha 6 anos. O jovem Fei Long encontrou um Sifu que o ensinaria e daria a ele um emprego de meio período, e assim seu pai não suspeitaria que ele também estava aprendendo a lutar.

Fei Long logo provou ser um habilidoso estudante de Wing Chun Kung Fu. Sua velocidade natural, somada aos rápidos socos e apresamentos do Wing Chun, fizeram-no um excepcional lutador. Contudo, a morte prematura do Sifu de Fei Long deixou-o sem um mestre por quase um ano.

Crônica em Street Fighter Alpha: Fei Long tentou praticar por conta própria, mas reconheceu que ainda precisava de supervisão para aperfeiçoar seu Kung Fu. Então deixou sua casa e foi para a China continental. Lá, Fei Long visitou os Templos Shaolin e começou a praticar com os sacerdotes. Sob a tutela deles, aprendeu algumas das técnicas do tigre, cobra e dragão. Após alguns anos, contudo, a vida no templo começou a aborrecer o orgulhoso e intempestivo Fei Long. Ele deixou o templo e retornou a Hong Kong com o objetivo de aperfeiçoar seu estilo de Kung Fu único, chamado Hiten-Ryu, no circuito Street Fighter. Um diretor de cinema acaba vendo uma de suas lutas e convida-o para se tornar ator, que sempre foi um grande sonho para Fei Long. Obviamente ele começa como um dublê de ação, aos 18 anos, mas com seu talento o seu primeiro filme como protagonista vem logo em seguida, Street King. O filme é um sucesso e ele fica muito famoso, seus fãs pedem uma sequência. Rumores dizem que o lutador Ken Masters pode ser visto como coadjuvante em uma das cenas de ação no parque Tiger Balm, a melhor cena de luta do filme segundo os fãs.

Crônica em Street Fighter 2: Fei Long tentou seguir carreira fazendo os filmes que tinha amado quando criança. Ele aprendeu a respeitar seus colegas atores/artistas marciais, mas ficou rapidamente chocado com a ganância gritante que imperava na indústria do cinema — e chateado com sua incapacidade para escolher os papéis que representaria. Frustrado com a carreira de ator, Fei Long voltou aos torneios de luta. Ali ele encontrou sua real vocação, uma vez que nos filmes não podia usar toda a força de seus golpes. Sua impressionante capacidade marcial e desejo de perfeição o impulsionaram rapidamente aos torneios legítimos de alto nível de Hong Kong, bem como aos submundo das lutas Street Fighters. Ele agora espera pela chance de testar suas habilidades contra os outros Guerreiros Mundiais no torneio mundial promovido por Bison, para o qual já recebeu convite.

Crônica em Street Fighter 4: Fei Long entendeu que não nasceu para atuar, mas sim para lutar. Como já tinha um contrato assinado para lançar Street King 2, ele continua no ramo. Estranhamente alguns artistas marciais que participavam do filme não tem vindo ao set de filmagem e investigações preliminares indicam que eles teriam sido sequestrados. Fei Long se interessa pelo caso quando um fã chamado Abel lhe dá algumas pistas, relacionando estes sequestros com outros a nível mundial, todos lutadores marciais, e ao que parece a produção do filme não é isenta neste caso também, tendo relações com a corporação SIN

Interpretando Fei Long: você tem uma auto-confiança que chega à arrogância. Acha que sua arte marcial é amelhor, e até agora ninguém conseguiu provar o contrário. Você é um fanático pela forma física e não se permitirá um momento de preguiça quando pode fazer algo como alongamentos e flexões de braço com um só dedo. Sua arrogância afasta as pessoas, mas alguns descobrem em você o charme, carisma e humor naturais em sua personalidade.

Aparência: Fei Long prefere lutar de peito nu, vestindo apenas calças largas de seda, meias e sapatilhas de Kung Fu. Sua aparência severa e olhar penetrante podem determinar o resultado de uma luta antes mesmo que ele dê um soco. Ele também se tornou famoso pelos brados esquisitos que emite durante os combates.

Lema: Você tem treinado para ser um grande perdedor. Agora terá que aprender a lutar!

feilong-ssf4-header

Fei Long como NPC

Fei Long leva uma vida dupla: ele é um famoso ator da cena de Hong Kong e um famoso lutador da cena Street Fighter. Personagens dos jogadores podem ser fãs dele, dependendo da época da crônica e isso poderia gerar ótimos plots. Ou algum deles pode ser aspirante à ator, e ser convidado para um filme com Fei Long seria uma ótima pedida. Como lutador Fei Long tem um quê de justiceiro, muitas vezes se envolvendo com as Tríades chinesas por se meter em seus negócios escusos, que ele repudia. Independente disso, Fei Long é um lutador que ama competir, então não é difícil colocá-lo em um torneio por aí.

Fei Long lutando com Armas?

Assim como diversos praticantes de Kung Fu, Fei Long é versado no uso de diversas armas brancas, simplesmente citadas como Armas Brancas em sua planilha. E isso é verdade segundo a própria Capcom, sendo o Nunchaku a sua arma favorita. Obviamente Fei Long é um lutador honrado e somente usará armas em demonstrações, fora de arenas (cercado por capangas, por exemplo) ou contra oponentes igualmente armados.

* Fontes: a história e planilha de Fei Long foi originalmente retirada do Livro Básico e SF RPG (cheia de fillers e poucas informações oficiais) e complementada com material oficial retirado do The Street Fighter Plot Canon Guide e acontecimentos in-game nos jogos da série SF.

Fei Long

Guerreiros Mundiais

Lee

sf5-lee


Altura: 1.78m
Peso: 76kg
País: China
Nascimento: ?

Lee é o sobrenome de um famoso mestre do kung fu chinês que está disposto a desafiar o mais forte lutador da Terra. Seu primeiro nome é desconhecido mas suas habilidades de luta são de um mestre e ele está disposto a mostrar para ambas, antiga e nova geração do que ele é feito. É dito que suas habilidades de luta são sem igual, e que ele consegue terminar uma batalha em poucos segundos. Um homem de natureza boa, Lee não tem arrependimentos por lutar e ele não se importa se alguém o derrotar algum dia, se esse for o destino de sua vida.

Crônica em Street Fighter 1: Lee participou no 1º Torneio Mundial Street Fighter, promovido por Sagat, tendo tido uma curta participação, devido às suas habilidades não se equipararem a lutadores de peso como Adon, Ryu, Gen entre outros. É sabido que Gen e Lee são parentes próximos e por isso o ancião teria aceitado treiná-lo para este primeiro torneio, mas nada está concreto. Também diz-se que Lee é tio de Yun e Yang, tendo deixado-os sob tutela de Gen para treinamento, pouco antes de seu sumiço.

Os motivos de Lee ter desaparecido do circuito são um mistério. Algumas fontes citam uma possível perseguição da Máfia sobre Lee, por alguma coisa que ele pode ter feito (ou não). Há quem complete e diga que ele deveria ter ganho o 1º torneio mundial, ou a Máfia acabaria com ele. Talvez Yun, Yang ou até Gen possam dar mais detalhes. Talvez.

Aparência: Lee é um autêntico mestre do Kung Fu chinês. Ele possui olhos puxados e um longo bigode que ultrapassa a altura do queixo. Seu cabelo longo e negro é mantido em uma trança às costas. Ele veste uma vestimenta tradicional do Kung Fu e um chapéu azul. Ele possui 1,78m e 96 Kg, e quando luta costuma assumir uma posição de combate que lembra o Kung Fu do Escorpião.

Interpretando Lee: Lee é um sábio e bondoso mestre de Kung Fu. Ele tem muito a ensinar e muito a aprender também. É uma pessoa humilde e que tem gosto por lutar. Atualmente Lee está desaparecido por algum motivo que somente ele conhece. Ou talvez tenha sido assassinado pela máfia mesmo.

Lee como NPC

Assim como todos personagens de Street fighter 1 que nunca mais deram a cara nos games, Lee não tem muito conteúdo para torná-lo interessante em aventuras, exceto pelos rumores que o cercam. Esses rumores falam que a máfia poderia estar atrás dele pois ele não ganhou o primeiro torneio mundial (uma dívida talvez). Fala-se de seu parentesco com Gen, Yun e Yang, e até mesmo Chun Li parece conhecê-lo segundo SF4. O Narrador é livre para decidir quais rumores são verdadeiros em suas crônicas e com isso criar plots interessantes que envolvam esse esquecido personagem.

Lee como Sensei

Como um dos primeiros Guerreiros Mundiais da história do circuito Street Fighter e grande conhecedor do Kung Fu, Lee é um Sensei 3 que já ensinou o básico para Yun e Yang, bem como alguns movimentos para Chun Li, tornando-o extremamente famoso como sifu (mestre de Kung Fu) para lutadores iniciantes.

lee


Sensei

* Fontes: este não é um personagem oficial da White Wolf. Seu histórico foi desenvolvido com base em diversas fontes, como a Street Fighter Website e o The Street Fighter Plot Canon Guide. Sua planilha foi desenvolvida por Matt Meade, da SFRPG.com.

A História do Templo Shaolin

A História do Templo Shaolin

Durante o século 5 D.C, um templo Budista foi fundado na montanha Shao- Shih; ele era chamado de Shaolin Ssu, que significa “Templo da Jovem Floresta”.

Ele virou um dos mais famosos centros de aprendizagem da religião Budista. Este era o lugar onde Bodhidharma ensinava. Em adição a seus ensinamentos espirituais, eles impunham a seus monges uma série de exercícios para aumentar seu vigor através de difíceis testes mentais e físicos que lhe eram exigidos. Estes exercícios não eram originalmente designados para combate, mas logo uma forma de boxe foi criada no Templo Shaolin. Chamada de Shaolin Ch'uan Fa (Caminho do Punho Shaolin), ela eventualmente tornou-se um famoso estilo naquelas terras. E tornou-se motivo de muita glória derrotar um monge Shaolin ou ser convidado a entrar no Templo. Não que isto fosse fácil.

De acordo com as lendas, os monges tinham de passar por árduos testes, tanto físicos quanto mentais, para ter direito a aprender as técnicas secretas do templo. Aceitava-se somente estudantes que passassem nos testes de paciência e humildade; ele era mantido aguardando por vários dias, sendo insultado verbalmente para ver seu temperamento. Se ele perdesse a cabeça, era rejeitado. Então, os que realmente mereciam aprender eram separados do resto.

O ultimo teste envolvia o mestre do templo servindo chá para os possíveis estudantes. Se o estudante aceitasse o chá, ele era mandado embora por desrespeito; eles tinham que agradecer a gentileza sem aceita-la, tendo eles mesmos de servir o mestre.

O cotidiano no templo era uma árdua sucessão de exercícios físicos e mentais. Os estudantes tinham de se dedicar inteiramente ao templo e seus ensinamentos, e não era permitido sair; há muitas histórias de tentativas frustradas de escapar do templo. Foi no Templo Shaolin que se criaram os Preceitos das Artes Marciais.

Graduações na escola eram mais desafiantes ainda. A rendição da catarata veloz foi uma tentativa de graduação descrita no episódio piloto da série Kung Fu. Depois dos questionamentos sobre a doutrina budista e sua filosofia, iniciava-se um exame físico, testando se monge e estilo eram um só. O teste final era incrível, todos os tipos de objetos eram jogados no estudante enquanto ele atravessava um corredor de uma câmara. Se o estudante falhasse em aparar todos eles, ele falhou no teste (muitos monges sofrem por terem tentado dúzias de vezes sem sucesso).

Ao fim do corredor, esperava pelo estudante um teste mais severo ainda: um caldeirão de ferro cheio de carvão flamejante pesando 250Kgs para carregar durante o restante do caminho. Durante o processo, marcas feitas pelo ferro quente do caldeirão iam surgindo pelos seus antebraços em formatos de tigres e dragões, indicando o fim do teste e marcando o monge para sempre como um membro do Templo Shaolin.

Depois de milhares de anos de esplendor, entretanto, o Templo Shaolin sofreu um desastre. Durante o século XVII, uma tribo da fronteira chinesa, os Manchus, conquistaram o resto da nação e fundaram a dinastia Ch'ing. Um número de monges simpatizantes do antigo governo, ajudados por grupos rebeldes lutaram contra o novo regime. Obviamente o governo imperial enviou um exercito para acabar com os monges Shaolin. Este ataque foi fortemente escurraçado do templo pelas forças Shaolin. Então, um exercito maior ainda invadiu o templo em 1735. De acordo com a lenda, somente 5 monges conseguiram escapar com vida; eles são conhecidos como os Cinco Veneráveis. Com a ajuda de outros revolucionários construíram um segundo Templo Shaolin, mas pouco tempo depois foi completamente destruído. Muitos monges escaparam, entretanto, o Templo Shaolin ficou sob a terra.

Saiba o que realmente aconteceu com os monges que escaparam com vida da destruição do templo, lendo o post As Tríades e Tongs Chinesas. Leia também os posts Kung FuEspecializações do Kung Fu e A Quintessencia do Kung Fu.

Usando o Templo Shaolin em suas Crônicas

O Templo Shaolin pode ser utilizado das mais variadas formas nas suas crônicas de  Street Fighter: The Storytelling Game. Ele pode ser o lar de um dos personagens jogadores, inclusive rolando seu Prelúdio no próprio templo. Encontrar o lendário Templo Shaolin de Hunan pode ser o objetivo de personagens exploradores. Talvez as pinturas das paredes do templo sejam o segredo para aprender uma antiguíssima técnica do Kung Fu do Dragão Branco.

O Narrador devem ter em mente que mesmo que as lendas (ou histórias) do Templo Shaolin indiquem que ele tenha sido arruinado a séculos, nada impede que ele permaneça intacto em sua crônica. Os monges eram muito inteligentes e facilmente poderiam ter reconstruído o templo em um lugar isolado, como montes tibetanos, por exemplo. Dessa forma, longe de todos, seria mais fácil reeerguer suas tradições sem uma nova represália.

Antiga pintura do Templo Shaolin

Vida e Obra de Bruce Lee

O Pequeno Dragão

Nascido a 27 de novembro de 1940, no ano e dia do Dragão, em São Francisco, Califórnia, Bruce Lee dedicou toda sua vida às artes marciais. Foi de tudo um pouco: filósofo, mestre, lutador, ator. Foi o arco principal de ligação entre as artes marciais, reservadas exclusivamente para os asiáticos, e os povos do resto do mundo.

Cresceu em Hong Kong, onde era um garoto pequeno, mas muito briguento, sempre "entrando em frias" com outros garotos e até mesmo com gangues de Hong Kong. Aos 13 anos, iniciou seus estudos de artes marciais de Kung Fu no estilo Wing Chun (ou Ving Tsun em Hong Kong), visando aliviar a insegurança pessoal que estava presente em sua vida, entre as brigas com gangues na cidade de Hong Kong. Aos 18 anos, foi para os Estados Unidos para se afastar das brigas entre as gangues chinesas e também estudar Filosofia na Universidade de Seatle – Washington. Também passou a trabalhar como garçom num restaurante de uma amiga da família, Ruby Chow, em Chinatown.

Passou a ser um mestre dentro do campus da faculdade, mesclando a arte marcial à filosofia. Foi daí que surgiram seus primeiros "alunos", que eram seus amigos. Ele não cobrava nada de ninguém e nunca o faria para amigos. Começaram a fazer, então, com que Bruce abrisse a sua própria academia de Kung Fu, e daí, poderia cobrar de seus alunos para se manter. Eis que em 1963, em paralelo com a faculdade, Bruce abre o "Lee Jun Fan Kung Fu Institute", sua própria academia, passando a dar aulas para seus amigos neste local.

Eis que então foi defrontado por um grupo de mestres asiáticos de artes marciais, dizendo para ele que não deveria ensinar a arte marcial aos não-chineses, ou deveria enfrentar o melhor lutador deles. Como Bruce adorava desafios, ele aceitou. A luta demorou três minutos e ele fez com que o adversário, jogado no chão, dissesse "eu me rendo", em chinês. Vendo que deveria ter vencido em segundos, e não em minutos, passou a se dedicar muito mais a arte marcial do Kung Fu.

Comemorando o nascimento de seu filho Brandon Bruce Lee fruto de seu casamento com uma de suas alunas, Linda Emery, apenas uma semana depois, voltou para Hong Kong, pois seu pai havia falecido. Na volta, fez uma promessa para si mesmo, de que sua família se orgulhasse dele, passando assim a criar um estilo de Kung Fu próprio: o Jeet Kune Do. A partir disto, Bruce teve de enfrentar novas dificuldades. Passou então a dar aulas particulares à domicílio, para personalidades famosas do meio artístico, como Lee Marvin, Chuck Norris e Steve McQueen, podendo custar o treinamento com o grande Mestre Bruce Lee até US$ 250,00 a hora. Mas seu aluno mais querido era seu filho, Brandon, e nesse meio tempo, veio ao mundo sua filha, Shannon Lee.

Bruce Lee e Chuck Norris

A garota teve o dom de poder acalmar Bruce. Bruce Lee era uma pessoa de carne e osso, como eu e você, e não um super-herói como parece. Numa manhã em 1970, levantando pesos, Bruce fraturou um importante nervo das costas, deixando impossibilitado de treinar por seis meses, tempo esse que ele teve para formular a parte filosófica de sua arte marcial, o Jeet Kune Do. Médicos de todo o centro de tratamento vieram dizendo a ele que nunca mais voltaria a treinar, mas Bruce fez de um obstáculo um ponto de apoio, para descobrir quais eram seus limites e medir a capacidade do corpo humano.

Dava 2000 socos por dia, 1000 chutes, corria 5 Km e pedalava mais 24 Km, para ver de que o seu corpo era capaz. Ao ficar totalmente recuperado, começou uma exaustiva rotina diária de exercícios. Ele passava muito tempo treinando, treinando para um combate que nunca existiria; era um treinamento de sete dias por semana. Até que em 10 de maio de 1973, enquanto editava "Operação Dragão", ele sofreu um desmaio no estúdio, sendo levado às pressas para o hospital, onde não foi detectado nada. Após uma bateria de testes, ele se recuperou, terminou "Operação Dragão", e voltou para seu antigo projeto "Jogo da Morte". De volta ao antigo filme, Bruce estava trabalhando com a atriz chinesa Betty Ting Pei. Foi um dia a casa dela para discutir algumas cenas do filme e disse à ela estar com uma forte dor de cabeça. Ela lhe deu um remédio e ele se deitou. Algumas horas depois, Betty entrou em pânico por não conseguir acordá-lo e ligou para Raymond Chow (diretor e amigo de Bruce).

Ele foi a sua casa e notou que Bruce estava muito pálido. Levaram-no para o hospital, onde Raymond ligou para dar a notícia a Linda: Bruce Lee, a lenda das artes marciais, havia morrido. Todos foram ao chão com a notícia, espalhando-se pelo mundo. Em seu sepultamento, foi homenageado por milhares de pessoas, e seu corpo foi levado para Seatle, onde ele e Linda se conheceram. Com apenas 32 anos, Bruce deixou uma esposa, dois filhos e um legado inigualável no mundo, tanto das artes marciais como das artes cinematográficas. Até hoje sua morte é discutida: muitos dizem que foi algum tipo de vingança entre as gangues de Hong Kong, ou até mesmo uma maldição dos mestres chineses por passar as artes marciais aos não-asiáticos.

Muitos também acham que foi vingança por ter feito muito sucesso. Mas sua morte foi comprovada por uma autópsia e resultou num edema cerebral, um inchaço no cérebro causado por uma reação alérgica ao remédio tomado na casa de Betty. Mesmo com a sua morte, foi continuado e concluído 5 anos depois "Jogo da Morte", que também não deixou de ser um grande sucesso. Com isso, seu legado foi deixado nas telas e tornou-se uma grande figura mundial. Também possibilitou que outros artistas seguissem seu caminho. Entre seus sucessores, estão Jackie Chan, Chuck Norris, Jean-Claude Van Dame e muitos outros, mas nenhum poderia ter tanto destaque como seu filho Brandon, este que teve uma carreira também próspera, mas em 31 de março de 1993, durante as gravações de "O Corvo", Brandon foi morto no set de filmagem por uma arma de festim indevidamente checada. O filme continuou como em "Jogo da Morte", com dublês e efeitos especiais. Novamente, rumores sobre a morte de Bruce voltaram à discussão e novas teorias do porquê havia morrido voltaram à tona. Mesmo assim, ainda hoje, o nome Bruce Lee é mundialmente falado; revistas publicam artigos, vídeos são produzidos e até homepages são montadas em sua memória.

– extraído e resumido da vida e obra de Bruce Lee

 

Fei Long, uma homenagem a Bruce Lee


Sensei

Eric, o ruivo boa pinta

Eric, O Ruivo Boa-Pinta


O ruivo boa pinta é o membro mais misterioso da War House e foi recrutado recentemente. Ele simplesmente pulou na arena um dia desses e começou a lutar ao lado deles.
Embora ele tenha sido desqualificado do evento, a War House imediatamente integrou ele ao time.

Sua habilidade no Kung Fu é inegável, mas nenhum dos outros membros do time sabe muito sobre ele. Apesar disso, ele não tem dado razões para que eles se preocuparem e o time está contente por tê-lo ao seu lado.

Aparência: Alto, barba feita e um cabelo ruivo bem vermelho, Eric gosta de liberdade, roupas folgadas em qualquer situação. Seus olhos parecem percorrer todos os lados, raramente se fixando em algo por mais de um segundo.

Interpretando Eric: Você fala pouco, mas seus olhos não deixam nada escapar. Você tem um modo de sempre aparecer do nada que enerva seus amigos e inimigos também. Apesar de não ser o primeiro a entrar numa briga, quando você entra,
é decisivo.

Lema: [suspiro inaudível]

War House

Rijndael


Ninguém sabe o verdadeiro nome deste lutador. A alcunha de Rijndael (pronuncia-se Raeindahl) lhe foi dada com base em um famoso algoritmo de criptografia computacional, pois assim como um texto cifrado, Rijndael é um enigma para todos dentro do circuito Street Fighter.

Já foi cogitado que Rijndael seria membro de um extinto clã ninja, devido à suas vestes negras que ocultam 100% do seu corpo e face. Já foi cogitado que Rijndael seria algum guerreiro sob controle mental de Bison, afinal, o time em que ele compete, o Black Dragon, é um dos Times Alpha da Shadaloo. Todos estão errados.

Rijndael na verdade é um Híbrido Animal. Ok, ele  não possui aparência de seu animal, o morcego, mas ele possui diversas características e habilidades inerentes a esta espécie. Rijndael só dorme de dia, se alimenta de sangue (o que é comum em algumas espécies de morcego) e é completamente cego. Sim, Rijndael não possui visão e este é um dos principais fatos dele manter seu rosto oculto sob uma máscara negra, afinal, para que deixar os olhos à mostra quando não servem para nada? Entretanto, assim como os morcegos, Rijndael possui um sonar em sua cavidade nasal que está sempre ativo. Isso faz com que ele consiga se orientar perfeitamente mesmo desprovido de visão e o que o torna um oponente terrível se tiver de ser enfrentado no escuro.

Não sabe-se o motivo dos poderes animais de Rijndael, mas alguns membros do Black Dragon sabem que ele foi rejeitado pelos pais quando era criança e deixado à própria sorte em uma caverna. Encontrado anos mais tarde pela Shadaloo, foi dado a Rijndael a opção de ter lugar em uma organização que o respeitaria e lhe daria um propósito para viver. Rijndael treinou e atuou ao lado de diversos times da Shadaloo, tendo finalmente encontrado seu lugar junto ao time de Adrian Hearse. Ao lado do Black Dragon, Rijndael ganhou um nome e um lar.

Quando Adrian Hearse entrou para os Money Guys, seu campeão era outro, porém o traiu e teve de assassiná-lo, fazendo com que Adrian perdesse a chance de ser o líder do grupo. Quando decidiu escolher um novo campeão, ele queria alguém que fosse completamente leal aos ideiais da Shadaloo e fiel a ele, além de ser um excelente lutador, é claro. Rijndael era a escolha perfeita.

Aparência: Rijndael usa nas arenas uma roupa negra, semelhante a dos ninjas, porém sem buracos para os olhos. Somente os membros do Black Dragon o conhecem sem seu uniforme de combate: ele é um homem na casa dos vinte e poucos anos não muito musculoso, que anda com roupas simples, uma bengala e óculos escuros. Um disfarce perfeito quando a Shadaloo precisa de um espião em algum evento. Quando está treinando seu Kung Fu, ele usa um gi negro e uma venda vermelha nos olhos.

Interpretando Rijndael: você é de uma lealdade inquestionável quanto a Shadaloo e Adrian Hearse. Eles o acolheram em um mundo que o desprezava e você vai retribuir sempre que puder. Você é um exímio praticante de Kung Fu, o que é muito útil para ajudá-lo a se coordenar, ter mais auto-controle e auto-estima. Você não almeja ser um grande campeão ou algo assim, cumprir suas missões e ser reconhecido dentro da Shadaloo são tudo que você quer. Você nunca fala quando está usando seu uniforme de combate, o que faz com que achem que você é mudo, mas não é. É que sons lhe atrapalham durante uma luta e você odeia que usem de sua deficiência como uma arma contra você.

Habilidades Especiais

Rijndael possui um sonar, idêntico ao dos morcegos. Isto lhe garante somar seus pontos no Antecedente Único Híbrido Animal a todos seus testes de Luta às Cegas e Prontidão (para evitar ser surpreendido). Porém, isto tem um efeito colateral: a sensibilidade a sons altos. Rijndael sente dor quando está próximo de sons altos e a Manobra Especial Stunning Shout lhe causa perda de Saúde, ao invés de somente atordoá-lo; enquanto manobras sônicas como Sonic Boom e Max Out lhe causam Dano Agravado.

Além dessas habilidades, Rijndael se alimenta somente de sangue. Não necessariamente sangue humano, mas ele precisa beber sangue para sobreviver, o que incomoda alguns colegas de time. Devido a essa necessidade, ele possui os caninos um pouco mais pontiagudos e afiados do que o normal (exija um teste de Percepção contra dificuldade 7 para notar, e somente se ele estiver com a boca aberta). Graças a isso, ele possui uma manobra básica chamada Mordida. Ela possui as seguintes características:

Mordida: Velocidade -2, Dano -1 e Movimento Um. Ignora Bloqueios e o dano é calculado com sua Técnica Apresamento. Para cada ponto de dano causado no oponente (após rolagem de dano) Rijndael recupera 1 ponto de sua Saúde. Ele deve morder e beber o sangue de no mínimo um animal grande (podendo ser um ser humano) a cada 24h, senão começa perder 1 ponto de Saúde (Agravado) por hora até a morte. Rijndael não utiliza sua mordida em combate (afinal seu capuz também cobre sua boca) e evitará usá-la na presença de outras pessoas que não a sua vítima.

Rijndael também consegue se comunicar com morcegos o que causa um efeito incrível quando ele quer intimidar alguém e centenas de morcegos (seus Mascotes) começam a sobrevoar ao seu redor (diminua em 1 a dificuldade de seus testes de Intimidação nestas situações). Obviamente deve ser possível que os morcegos cheguem até o local onde ele está.

E por último, Rijndael dorme de dia e se mantém acordado à noite, o que faz com que ele participe somente de torneios e missões noturnas. Como se não bastasse isso, ele gosta de dormir de ponta cabeça e em lugares altos, como árvores, sótãos e postes.

* OBS: este personagem não é oficial da White Wolf, tendo sido criado por Fernando Jr.

Híbridos Animais

Shan Lung

Shan Lung


Shan Lung cresceu em Kowloon – ou, mais precisamente, ele cresceu abaixo dela. Shan Lung uma vez foi um dragão – não um dragão ocidental, mas um dragão-serpente e sábio do oriente. Ele bebia chá com os Oito Imortais, brincando com seus irmãos dragões e ouvindo os contos do grande Rei Macaco.

Então, um dia, humanos atraíram sua atenção. Shan Lung gostava de assistir suas rotinas diárias: era engraçado ver seus afazeres, trabalhando, construindo, lutando e criando. Ele decidiu tomar uma forma humana e caminhar entre deles, para ver como era.

Shan Lung não gostou da experiência. Humanos eram gananciosos. Eles eram grosseiros e maldosos. Era difícil para Shan Lung esconder o que ele era – seus maneirismos estranhos e
Chi forte faziam-no chamar a atenção. Até mesmo aqueles que eram legais o assediaram quando descobriram sua real natureza. Alguns até mesmo tentaram enganá-lo e escravizá-lo. Quando ele escolheu voltar à forma de dragão, ele ficou horrorizado ao descobrir que havia esquecido como fazer isso.

Desanimado e furioso, Shan Lung fugiu da cidade para o interior da China. Evitando vilarejos e cidades, eventualmente ele topou com um monastério. Os monges o receberam e ofereceram sua paz. O grande mestre Wu estava impressionado com a energia interna de Shan Lung, mas ele também via sua raiva e frustração. Mestre Wu tomou Shan Lung como seu estudante e ensinou-lhe os caminhos da paz interior através do Kung Fu. Ele ficou no monastério por 100 anos, eventualmente tornando-se um Sifu.

Quando Shan Lung estava preparado, ele retornou para o mundo dos humanos. Com sua raiva há tempos apagada, e agora decidida a sua situação, ele vaga pelo mundo. E como dragão, ele faz o que quer e como quer. Algumas vezes isto inclui lidar com criminosos, como a Shadaloo. Shan Lung viaja por onde quer que sua imaginação e destino o leve.

Ele juntou-se ao circuito Street Fighter como uma maneira de melhorar suas habilidades e ganhar dinheiro. Embora ele não goste de admitir, sua natureza de dragão aprecia a honra e a atenção que os combates trazem. Algumas vezes ele toma um estudante ou dois e os ensina a sua arte.

Aparência: Shan Lung parece com um homem velho frágil. Sua aparência engana seus oponentes, fazendo-os subestimarem-no, pois ele é muito mais forte e
rápido do que parece. Seus movimentos são graciosos e serpenteantes. Quando luta, Shan Lung prefere a tradicional e larga roupa dos artistas marciais chineses. Seu cabelo branco é longo e trançado, preso em um único rabo-de-cavalo. Shan Lung tem um olhar penetrante
que poucos podem desafiar por muito tempo. Fora dos ringues, ele fala pouco – somente o que precisa ser dito.

Interpretando Shan Lung: você está em paz com o mundo ao seu redor. Você não argumenta contra nada. Isto não significa que você é um molenga, entretanto. Quando provocado, você é poderoso e determinado: não há nada que possa ficar no seu caminho. Felizmente, isto não acontece com freqüência, agora que você estuda Kung Fu. Você ainda procura um meio de retornar à sua forma original. Você é inescrutável. Seus motivos são apenas seus.

Lema: Seja como o pinheiro e o bambu. O pinheiro é forte e firmemente enraizado. Bambu é resiliente e inquebrável, e flexiona-se ante à fúria da tempestade.

Sensei

Phoenix Bright

Phoenix Bright


Phoenix Bright (Fênix Brilhante) é filha dos anos 60, nascida em uma comunidade no Oregon. Ela e seu irmão gêmeo, Moon Shadow (Sombra Lunar), foram educados a respeitar a Mãe Terra e tudo que vive em sua superfície. Sua vida era um paraíso idílico, um destinado à destruição. Sem o conhecimento dos residentes da comunidade, homens de negócios inescrupulosos negociaram suas terras. O empreiteiro tentou todas as formas legais, fiscais e políticas para tirar as famílias das terras, sem sucesso. Finalmente, ele usou seus contatos na Shadaloo, oferecendo a eles muito dinheiro por seus serviços.

A comunidade, um refúgio pacífico da violência da sociedade moderna, estava completamente despreparada para enfrentar os métodos da Shadaloo. Baderneiros como uma gangue de motoqueiros, capangas da Shadaloo chegaram ao vilarejo e puseram tudo em chamas. Confusa e amedrontada,
Phoenix Bright fugiu da comunidade, deixando sua família e a vida que ela conhecia para trás.

Ela correu por dias, eventualmente fazendo seu caminho até Portland onde ela reportou o massacre à polícia. Com escolta policial, Phoenix fez o caminho de volta à comunidade para descobrir o vilarejo destruído e sua família desaparecida. Em desespero, ela retornou a Portland com a polícia, sua vida estava arruinada.

A polícia colocou a jovem garota em um orfanato mantido por alguns anciões chineses. O mais velho do orfanato era um mestre de Kung Fu que reconheceu as sementes da grandeza em Phoenix Bright e iniciou seus ensinamentos. Ela rapidamente tornou-se a melhor de suas pupilas e encontrou nas artes marciais um refúgio para seu desespero e fúria. Seu sábio Sifu ficou surpreso quando um dia ela irrompeu em chamas e estava,
milagrosamente, sem ferimentos. Ele viu que havia muito mais naquela jovem garota do que ele suspeitava a princípio. Juntos eles desenvolveram os poderes de Phoenix e aprenderam a controlá-lo.

Um dia o mestre entrou no quarto de Phoenix com boas novas. Ele tinha ouvido de um garoto americano que viajava pela China e que era idêntico a de Phoenix. Ele tinha também ouvido que o garoto possuía poderes similares aos seus, mas sobre o elemento do ar. Tinha de ser mais do que coincidência – mas como este garoto havia parado na China? A garota estava exaltada e jurou que viajaria até o fim da Terra para encontrá-lo. O mestre sabia que era sua responsabilidade naquela noite introduzi-la no circuito Street Fighter – era a oportunidade que ela precisava.

Aparência: Phoenix Bright é uma garota magra com longos cabelos loiros caídos constantemente sobre seus olhos. Ela tende a se vestir com roupas ao estilo anos 60 – calças bocas-de-sino, tops decotados e love beads. Ela aparenta ser magra e feia, uma imagem cultivada para encorajar seus oponentes a subestimarem-na.

Interpretando Phoenix Bright: seu pacifismo é algo estranho como um turmoil interno. Por um lado, você tenta ser pacifista; ainda que a violência em seu passado a tenha tornado uma guerreira. Sua esperança de encontrar seu irmão em breve faz com que você deixe seu passado para trás.

Lema: Esteja em paz, guerreiro. Eu meditarei por você depois que derrubá-lo no chão.

Elementais

Li Pak

Li Pak


Li Pak é um chinês órfão que foi encontrado ainda bebê às portas da Associação da Lótus Branca, um Templo Shaolin na província de Yunnan. Li cresceu junto aos Monges Brancos, tendo sido treinado como um nas artes do Kung Fu da Lótus Branca. Li teve um rígida educação física, mental e espiritual se tornando o campeão do templo ecarregando consigo a missão de honrar o seu estilo.

Porém, a Lótus Branca não é uma organização voltada somente para fins marciais, tendo como objetivo primordial manter a paz e a ordem. Seus líderes viram na Shadaloo e em seu líder Bison, uma ameaça a harmonia do planeta e enviaram Li Pak para eliminá-lo. Com essa tarefa em mãos, Li viaja pelo mundo em busca de pistas de como ficar frente à frente com o ditador para acabar com seu reinado de terror.

Em uma dessas viagens, ele conheceu Chin Kang, e se tornaram grandes amigos. Li não teme Bison ou a Shadaloo, enfrentando essa missão como a última antes de se tornar um mestre no Kung Fu da Lótus Branca. Ele está confiante de que pode derrotar o ditador, e quaisquer dos seus lacaios que ele possa enviar para detê-lo. Dizem inclusive que ele teria humilhado Balrog publicamente em seu cassino em Las Vegas (o Vegas Strip) e que o boxeador estaria oferecendo uma recompensa no submundo pela sua cabeça.

Li tem poder suficiente para desafiar qualquer Guerreiro Mundial pelo título, porém não é para isso que ele luta.

Interpretando Li Pak: Você tende a ser sério, e altamente doutrinado; isto reflete seu ótimo treinamento com os melhores mestres da Ásia. No momento você está fascinado pelo mundo exterior que é muito diferente dos templos onde você passou quase toda a sua vida, mais mesmo assim anda com seriedade, e atendo a tudo e a todos.

Aparência: Li é de estatura média, e tem cabelos curtos  negros. Nos combates, prefere usar uma calça preta tradicional do Kung Fu com detalhes em vermelho. Sempre com um olhar desafiador. Seu rosto lembra muito o lutador e ator Jet Li, enquanto seu corpo lembra o de Bruce Lee. Em situações especiais e cerimônias de honra, ele veste-se com um uniforme branco com detalhes dourados. 

* OBS: este personagem não é oficial da White Wolf. Ele foi originalmente desenvolvido por Carlos "Wind Yang" Dalben, no fanzine Orgulho da Arte nº16