Abel

Abel


Altura: 1.98m
Peso: 95kg
País: França
Nascimento: 05/11/????

As memórias de Abel, começam a 5 anos atrás. Em sua primeira memória existem chamas e muita fumaça. Está difícil respirar, enquanto corre atordoado, com um prédio desmoronando sobre sua cabeça. Ele está sendo ajudado por alguém, que lhe oferece apoio em seu ombro para escapar da morte iminente. O sujeito que o ajuda possui um longo topete loiro, usa óculos e se veste com trajs militares. Ambos seguem uma sombra mais a frente que parece lhe guiar o caminho…

Abel viveu os anos seguintes junto a unidade mercenária que o resgatou. Lá, ele foi introduzido ao ofício de mercenário, aprendendo artes marciais, uso de armas e participando de diversas missões, sempre sob a tutela do comandante da unidade.

O comandante sempre cobrou mais de Abel do que dos outros, tratando-o como um pai exigente trata um filho. Isso fez com que Abel se tornasse o grande homem e feroz lutador que é hoje.

O comandante sempre exigiu que os demais mercenários da unidade ensinassem e ajudassem Abel em tudo que fosse preciso. Isso garantiu que o estilo de combate de Abel se fortificasse cada vez mais, e ele se tornasse um formidável lutador. Diz-se que dentro da unidade não havia lutador páreo para as habilidades do francês. Aliás, não sabe-se ao certo a nacionalidade de Abel, ele mesmo talvez não saiba, porém o uniforme que ele mesmo costurou foi feito com temas franceses e provavelmente o local onde encontraram-no ficava na França. A despeito da sua suposta nacionalidade, Abel não aprecia culinária francesa, principalmente as ostras que lhe fazem mal à beça.

Foram 5 agradáveis anos na unidade. Apesar do treinamento e missões constantes, que Abel desempenhava com maestria, Abel gostava mesmo de suas folgas, quando podia exercer seus dotes culinários e de costura. Piadas à parte, ele era quem remendava as roupas dos mercenários e preparava a comida da unidade. Abel sonhava em juntar algum dinheiro e se aposentar. Ele queria ter uma vida tranquila e principalmente um cachorrro de estimação.

Mas se tinha algo que atormentava Abel, era o fato de não possuir memórias de seu passado. Sempre que questionava o comandante sobre seu passado, onde foi encontrado, etc, o comandante ficava com um semblante sério. Ele não gostava de falar disso, e falava muito pouco sobre o dia e circunstâncias em que encontrou Abel. Não importava a insistência, parecia que o comandante queria esconder algo. Abel apenas sabia que seu passado  a Shadaloo tinham alguma ligação. Quando Abel vinha com ideias de ir atrás da Shadaloo, o seu pai adotivo lhe advertia, que eram perigosos e que não tinha nada a fazer à respeito.

Embora ele não falasse com o comandante o tempo todo, Abel queria saber sobre seu passado, era um desejo incessante que ele não conseguia reprimir. Afinal, porque o comandante não lhe falava a respeito? Onde eu nasci? Quem me trouxe para cá? Que tipo de vida eu tinha? De onde eu fui resgatado? E será que foi realmente um “resgate”?…? E essas dúvidas testavam a paciência de Abel dia após dia. Ansiedade e frustração teimavam em incomodar Abel.

Crônica em Street Fighter 4: Num dia quente de verão, Abel tomou-se de uma ousadia sem tamanha. Ele iria questionar de uma vez por todas tudo que o comandante sabia. Porém, quando ligou para o comandante, ele havia falecido em um acidente. No fim do funeral, depois que todos haviam saído, Abel ficou parado frente à lápide do comandante. Pendurado sobre a tumba estava uma coroa de flores e um buquê em sua homenagem, o que indicava a profunda popularidade do comandante perante os demais. Abel, que não demonstrava uma única emoção, estava pasmo com o que estava gravado na lápide do comandante:

“Não tinha memórias ou família, mas não era solitário. Aqui ficam os pesares de seus companheiros mercenários, que sempre ficaram a seu lado. Comeram juntos, dormiram juntos, eles combateram juntos. Riram juntos, ficaram com raiva juntos, as vezes choraram.  Para eles, foram inesquecíveis obrigações.”

Uma marca cravou fundo no coração de Abel, muito fundo para um homem com emoções rígidas como ele, e então agora, frente ao futuro incerto à sua frente, ele só queria saber uma coisa: seu passado. Sua curiosidade ficou incontrolável, já que seu único elo havia se rompido.

Crônica em Street Fighter 5: Abel agora investiga a Shadaloo, uma vez que entendeu que a SIN era uma mera marionete. Ele deseja entender mais sobre seu passado e ao mesmo tempo acabar com tal organização. Acaba se juntando à Guile na missão de investigar a misteriosa operação CHAINS, e quase perece nas mãos de FANG, o novo general de Bison, após ter se infiltrado entre os soldados da organização terrorista. Abel anda tendo surtos psicóticos que parecem relacionados ao Psycho Power crescente de Bison, o que o faz perder a cabeça e atacar inclusive seus amigos. Ele próprio não sabe o motivo desses ataques e teme por todos ao seu redor.

Aparência: Abel é um francês (?) loiro com 1,98m e 85Kg. Ele possui algumas cicatrizes espalhadas pelo rosto e corpo, fruto de seus anos como mercenário e os inúmeros combates que travou. Seu semblante é sempre sério e taciturno, que aliados a sua altura e força, o tornam intimidador. Ele usa a parte de cima de um kimono de Judô que ele mesmo costurou, com as cores da França, em conjunto com um short tradicional de Vale-Tudo. Além disso, é comumente visto com protetores de mãos e pernas, como os utilizados pelos praticantes de Tae Kwon Dô. Quando está treinando também usa um maiô de luta-livre, com a bandeira da França estampada no peito.

Interpretando Abel: você é um cara muito sério e possui uma personalidade extremamente difícil. Não que não goste das outras pessoas, só não demonstra com facilidade. É extremamente cuidadoso e analisa constantemente seus oponentes, dentro e fora das lutas. Você gosta das coisas simples da vida, como cães, costura e culinária. Você apenas busca informações sobre seu passado, mais nada. A luta é o único meio que você encontrou para chegar mais perto do seu objetivo, sabe como é, capangas da Shadaloo precisam de alguns golpes para abrirem a boca. Essa sua obsessão pela Shadaloo já lhe rendeu muitos problemas, fazendo com que até mesmo suspeitassem de um envolvimento seu com a organização criminosa. Dane-se, você não irá descansar até saber sua origem, nem que tenha que surrar todos os Guerreiros Mundiais para isso!

Abel como NPC

Em Street Fighter Alpha foi a época que Abel foi encontrado por Charlie Nash, quando aprendeu MMA e se junto ao grupo mercenário. Caso o narrador ache interessante, usar o Abel nesta época é um pouco mais complicado a menos que os heróis tenham contato com a unidade mercenária dele na França.

Já em SF4 e SF5, Abel está em busca de suas origens, perseguindo a Shadaloo, para descobrir que agora quem está no comando é a SIN. Se os heróis estiverem também perseguindo tais organizações, é relativamente simples incluir Abel em suas crônicas, pois ele pode ter pistas sobre as atividades criminosas das organizações ou o contrário. Mais especificamente em SF5 ele está agindo como agente-duplo, trabalhando disfarçando como soldado de Bison para coletar informações sobre a operação C.H.A.I.N.S.

abel-sf4

Guerreiros Mundiais

* Fontes: este personagem não é oficial da White Wolf. Ele foi desenvolvido por Fernando Jr, da SFRPG Brasil sendo sua planilha originalmente criada por Matt Meade da SFRPG.com e posteriormente modificada por Eric da Shotokan RPG. Sua história foi traduzida do The Street Fighter Plot Canon Guide e da sua história in-game. Ele ainda não foi confirmado como um personagem jogável em Street Fighter 5, mas já aparece na história principal do jogo.