Juan Tavarez

Técnicas complicadas o aguardam...O suplemento de Street Fighter Secrets of Shadoloo apresenta três estilos novos, o Thai Kickboxing, mais conhecido mundialmente como Muay Thai (alguém me explica o porque deles não usarem o nome tailandês do estilo, por favor!) e mais dois, que não podiam ser escolhidos por jogadores: Ninjitsu Espanhol, o estilo de Vega e Ler Drit, o estilo de M. Bison.
No entanto, esses dias eu recebi pelo ICQ um texto muito bom de um personagem. Esse personagem tinha ótimas explicações para lutar esse estilo, e eu, como Narrador, permitiria. Abaixo vocês podem ver o texto sobre o personagem, o que pode abrir mais horizontes e fazer com que o Narrador deixe usar esses estilos "proibidos"!

"Meu passado traz muita amargura; eu era filho de um grande sensei de artes marciais, meu pai era um professor de Ninjitsu, minha vida era muito tranqüila naquela epóca em que meu pai tinha um lindo dojô.
Desde cedo queria ser um lutador, porém meu pai não permitia. Com o tempo ele foi ficando muito famoso e lutadores de todo mundo o procuravam. Ele criou um grande afeto com um aluno que se chamava Carlos Vega.
Nosso dojô foi conseguindo muitas conquistas, e aquilo era incrível. Vega ganhava luta após luta. Mas foi se alterando com o tempo, alunos diziam que uma organização o pagava muito bem por certos serviços. Porém ninguém sabia desses tais serviços. As lutas de Vega eram sempre acompanhadas por um sujeito com roupa militar vermelha, que segundo meu pai, emitia um chi muito estranho.
Num trágico dia Vega voltou ao dojô diferente, com um olhar muito sangüinário e com garras. Seu rosto estava coberto por uma mascára (sabíamos que ele era um amante da sua beleza), então desafiou meu pai para um combate. Meu pai foi facilmente derrotado por ele (o que assustou todos). O que vimos não foi um Ninjitsu comum e sim um Ninjitsu totalmente diferente: seu golpes eram graciosos, de velocidade sobre-humana e de mortalidade imensas. Vi meu pai ser morto na minha frente não pude fazer nada, apenas fiquei muito perplexo. Os outros alunos do dojô tentaram derrotar Vega mas foram cruelmente massacrados por ele e um sujeito de Tapa-Olho.
Chorava, mas não era de dor e sim de raiva; meu braço formigou então corri pra cima de Vega, sentia meus poros formigando de raiva, minhas entranhas queriam beber do sangüe de Vega. Meus olhos só viam sangüe e dor, minha mente só via a morte.
Então fechei os meus olhos e desferi o meu melhor soco. Vega apenas riu e pulou sobre minhas costas, se apoiando nelas para arranhar-me com brutalidade. Gritei de dor. Vega apenas riu e disse: 'Não vou te matar. Sua dor será ainda maior que a morte, pois viverá com a angústia, e a prova disso são as marcas de minhas garras em suas costas. Isso é a prova que meu Ninjitsu é o melhor de todos.' Tudo foi ficando preto só me lembro do pé de Vega na minha cara.
Durante 2 anos não me conformei com isso, treinei o que pude na arte do Ninjitsu, mas era ineficaz; nunca superaria a técnica e velocidade de Vega. A única coisa que parecia me trazer conforto era o antigo uniforme de meu pai que sempre carregava comigo.
JUAN TAVAREZFui ao mundo todo para aperfeiçoar as minhas técnicas e finalmente vi a luz no fim do túnel quando fui a Espanha treinar. Ouvi dois lutadores falando que haveria um torneio onde os melhores iriam treinar com Vega. Então finalmente raciocinei: sim existe uma maneira de matar Vega; usarei suas próprias técnicas de combate contra ele.
Então logo me cadastrei para o torneio, mudei meu nome para Juan Tavarez e cheio de orgulho vesti o uniforme ninja de meu pai. E ao Escutar: 'Que comece o torneio!', meu coração bateu mais forte e lutei como nunca havia lutado antes, praticamente destruí meus oponentes.
Me lembro que Vega observava as lutas, bem acima da Arena, sentado em sua cadeira de ouro tomando seu vinho. Ele apenas ria com a dor dos perdedores. Em cada lutador que enfrentava eu via o rosto do maldito, e só me sentia melhor ao estraçalhar o rosto do oponente. Venci o torneio, Vega apenas riu para mim dizendo: 'É você serve. O mais interessante é que você me lembra alguém que não consigo lembrar quem é.'
Então começou o meu treinamento do Ninjitsu Espanhol. Vega e até hoje não descubriu (ou faz de conta que não descobriu). Toda vez que treinava, me lembrava do que ele fez com meu pai e isso me motivava mais para continuar treinando. Muitos dos que começaram o treino morreram, eu continuo vivo, mas não poderei mais continuar vivo somente pelo ódio.
Então finalmente eu e mais outros recrutas fomos enviados ao nosso 1º serviço. Fomos enviados para matar um um revolucionário Tailândes que era contra a Shadaloo. Foi lá que me rebelei: não ia matar ninguém. Porém meus colegas tinham outra idéia em mente, então gritei: 'O alvo de vocês não é esse homem e sim um traidor entre vocês; eu. Só deixarei vocês matarem esse homem se me matarem primeiro!'. Eles me atacaram, mas eu venci. Fiquei muito ferido, e o homem que salvei me ajudou quanto aos ferimentos.
Contei minha história a ele, ele apenas balançou a cabeça dizendo: 'Sim filho, estamos perdendo muitas pessoas por causa da Shadaloo. Tome cuidado filho, agora a Shadaloo está atrás de você. O ajudarei a sair do país.' Então ele me ajudou a sair do país, me deu também um certo dinheiro e disse: 'Garoto, você não pode continuar nesse país; você irá pra América.'
O avião que o revolucionário tinha me arrumado me levou para os EUA. Fiquei abismado com o lugar, pois era muito diferente da minha terra natal. Mas logo refleti: aqui aperfeiçoarei minhas técnicas ao extremo; aqui nascerá o assasino de Vega. Talvez aqui possa encontrar gente que, como eu, queira destruir a Shadaloo."

- Juan Tavarez (Nome Real: Ukyo Shinosuke)