Dicas para o Narrador

Área visada principalmente por Narradores iniciantes, tem muitas dicas e textos interessantes. É ótima até mesmo para os mais experientes!


Criando Street Fighters

Aqui vão dicas para se criar NPCs Street Fighters, de acordo com seus postos. Cada Posto tem um padrão de lutador, uma média. Esses números foram feitos para ajudar o Narrador na hora de criar seus NPCs. Esses dados são baseados na média dos personagens que apareceram nos suplementos Player's Guide, Secrets of Shadoloo e Contenders.

Posto 1: Atributos 15, Habilidades 20, Técnicas 8, Manobras 7, Saúde 10
Posto 2: Atributos 16, Habilidades 21, Técnicas 10, Manobras 11, Saúde 10
Posto 3: Atributos 17, Habilidades 22, Técnicas 13, Manobras 16, Saúde 10
Posto 4: Atributos 17, Habilidades 22, Técnicas 13, Manobras 18, Saúde 16
Posto 5: Atributos 17, Habilidades 24, Técnicas 16, Manobras 24, Saúde 16
Posto 6: Atributos 18, Habilidades 26, Técnicas 16, Manobras 29, Saúde 16
Posto 7: Atributos 19, Habilidades 28, Técnicas 19, Manobras 29, Saúde 16

Cálculo do Total de Pontos de Bônus por Posto

Cálculo Total de Pontos de Experiência por Posto

1: 15
2: 37
3: 79
4: 107
5: 110
6: 173
7: 197

1: 0
2: 35.4
3: 89
4: 121
5: 182.4
6: 217.6
7: 284.8


Ideogramas

Às vezes um Narrador precisa de imagens de hanjis, kanjis ou outros ideogramas, principalmente numa crônica de Street Fighter. Portanto, agora fornecerei o máximo de símbolos que puder. Confiram abaixo o que eu já consegui:


Ninja e Dim Mak

Muitos já devem ter ouvido falar que certos ninjas possuem a habilidade de atingir os pontos vitais e ferir drasticamente oponentes, e certas fontes até mencionam o termo "Dim Mak". Em SF RPG, o estilo ninjitsu não pode aprender o Dim Mak apresentado no livro básico, e isso pode ter causado o espanto de alguns.

Lendo a página 52 do romance NINJA, de Eric van Lustbader (uma ótima leitura para inspirar aventuras fora da arena, bem ao estilo de SF e filmes de artes marciais), concluí que talvez não seja bem assim. Ele diz: "(...) Mas cada ryu, isto é, escola e, no caso dos ninja, clã, especializava-se em diferentes formas de combate, espionagem, costumes, etc. Por exemplo, o ryu Fodo era conhecido por seu trabalho com várias espécies de pequenas lâminas escondidas, o Gyokku era especialista em usar o polegar e o indicador nos centros nervosos do corpo em combates corpo a corpo, os Kotto especializavam-se em quebrar ossos, outros usavam o hipnotismo, etc (...)."

Isso parece indicar que eram apenas ataques dirigidos aos nervos a fim de inutilizá-los, como um Wounded Knee, e são representados por manobras como Boshi-ken e Shikan-ken, ou a própria Wounded Knee. O Dim Mak é muito diferente disso, consistindo em acertar rotas de fluxo de Chi e prejudicá-las, causando assim dor, dormência, doenças e até mesmo a morte. No mundo de Street Fighter vemos vários ninjas, como os clássicos (Geki e Ibuki) e alguns mais exóticos e modernos (Guy e Vega), mas nenhum deles possui algo parecido a um "Toque da Morte". Gen usa isso em SF Alpha 2 e 3, e até é mencionado que seu estilo é Ansatsuken (ou seja, direcionado para a morte).


Onde situar sua Crônica?

A seguir teremos indicações dos principais cenários de Street Fighter e dicas sobre como usá-los em suas crônicas. Também falarei sobre até onde são aproveitáveis e sobre como encaixá-los.

Street Fighter 1 (1987): o primeiro game de luta com seis botões (e um dos únicos) não é um cenário muito bom ou amplo. Ryu, Ken, Sagat, Adon, Gen e Birdie são ótimos personagens, mas isso acontece porque foram desenvolvidos nos games futuros. Esse cenário é ótimo para começar uma crônica. Talvez com os personagens (ou seu mestre) lutando no torneio e perdendo feio ou algo do tipo. Crônicas que começam aqui seriam melhor concluídas no cenário Alpha, ou ainda no ótimo SF2.

Street Fighter Alpha (1988 a 1990): essa série foi muito bem desenvolvida, dando um novo passado para a escola de Goutetsu e para os outros. Ela tem personagens ótimos e profundos. Sua história também é boa, terminando no ataque à Shadaloo em 1990. Ela é boa para começar uma crônica que terminaria no SF2, com a derrota final de Bison. Pra terminar crônicas ela também é boa, mas nada supera o SF2.

Street Fighter 2 (1993): o ponto mais alto de SF, tanto em popularidade como em história. Apesar dos personagens não serem tão desenvolvidos, todos têm personalidades fortes e são carismáticos. Tanto que até hoje são os que mais são lembrados. Esse é um ótimo momento para terminar uma crônica, pois aqui há um Torneio dos Guerreiros Mundiais de alto nível, além da queda da Shadaloo. Também pode-se começar uma crônica aqui e terminá-la aqui, como é o RPG. Com certeza, aqui é o melhor cenário.

Street Fighter EX (1993): esse é apenas uma remake do SF2 com novos personagens. Todos os novos são muito bons, tendo o seu ponto alto em Kairi, Garuda e Pullum Purna. Servem apenas para serem incluídos no SF2, como novos Guerreiros Mundiais.

Street Fighter 3 (1998 a 1999): aqui acaba a história de Street Fighter. Ou pelo menos parou nesse ponto. Também tem um bom cenário, mas não é bom para se começar crônicas, pois aqui é o ponto final da história SF. Muitas coisas são concluídas, como Ryu, que enfim vence Ken e encontra um novo mestre. Já Ken, arruma um aluno. Essa é a despedida dos Guerreiros Mundiais. Mas preste atenção: se for usar esse cenário pra finalizar uma crônica já começada antes (em outros cenários) terá que fazer um torneio descontraído, para divertir a todos, ou então fazer com que algum dos personagens atuais (Gill, ou mesmo Urien, Oro ou Alex) tenha alguma ligação com fatos do passado dos personagens e só agora isso seria explicado. Com isso, teriam grandes batalhas.

Todas as séries: Assim como fiz em Conspiração Total, uma ótima opção é não se basear em somente uma história de SF, e sim em toda a série, indo de SF1 a SF3. Com isso, você pode mudar os lugares dos personagens, como eu, que fiz os dos EX terem contato com os jogadores só no SF3 - e Garuda era o grande vilão que estava por trás de tudo desde o começo. Essa é uma ótima opção, mas o Narrador tem sempre que "fingir" que uma batalha final está acontecendo, senão os jogadores se cansarão de nunca chegarem ao seu destino (pois uma crônica assim geralmente é muito longa - passando-se em mais de 10 anos no jogo). Victory: Mudando um poucoComo em Conspiração Total, onde derrotaram a Yakuza de Tóquio, depois a Shadaloo e enfim tiveram a batalha final contra Garuda.

Street Fighter 2 Victory: essa ótima série é um outro grande cenário! É boa para quem quer mudar só que não quer largar os Guerreiros Mundiais de SF. Ela traz uma nova profundidade para os poderes de Foco, além de mudar os personagens e o mundo - que é mais parecido com o nosso. Vega tem a hipnose dos ninjas, Dhalsim tem Dim Mak e muito mais! Com certeza é uma ótima opção para variar um pouco.

SNK VS Capcom: Um cenário que dá muito certo!Crossover: há muitas boas adaptações aqui e várias podiam servir para uma crônica junto com os Street Fighters. Com a chegada de SNK VS Capcom, as adaptações de South Town são as mais sugeridas. Também há a X-Men e Marvel VS Street Fighter, para séries um pouco mais diferentes e épicas. No entanto outras também combinam, mas as melhores são mesmo de games. Algumas, não precisam ser parte importante do cenário, mas uma simples adição (como colocar o Clube da Luta de Tyler Durden no cenário). É sempre bom surpreender os jogadores!

Eu vou parando por aqui. Espero que tenham curtido a matéria, mas espero mais ainda que ela tenha sido útil. Faça os preparativos e... Let's rock! (Jun, mals ae pelo plágio... ^_^)